Visitando os Templos Megalíticos de Ġgantija em Malta

Quando você pensa em monumentos antigos – e eu quero dizer realmente antigos – lugares como Stonehenge ou as Pirâmides do Egito possivelmente serão suas primeiras opções. Mas há um lugar em Malta, mais especificamente na Ilha de Gozo, que não é tão famoso ou impressionante quanto os outros dois exemplos, em tamanho ou visual, mas que são, sem dúvidas, uma das grandes maravilhas da engenharia da antiguidade. Estou falando dos Templos Megalíticos de Ġgantija.

  • O que são?

Ġgantija é um complexo de templos megalíticos oficialmente reconhecidos pela UNESCO como os mais antigos edifícios independentes do mundo. Localizados nos arredores da cidade de Xagħra, em Gozo , o complexo têm mais de 5.500 anos – mil anos mais antigos que Stonehenge ou as pirâmides do Egito.

Graças a um extenso esforço de preservação, os templos estão entre os locais históricos mais bem preservados das Ilhas Maltesas e desde 2013 estão abertos ao público como um parque patrimonial. É desde 1980 integrante da lista de patrimônios da humanidade pela UNESCO junto com outros templos megalíticos de Malta.

  • Porque foram construídos?

Os templos derivam seu nome de um mito popular local. Os gozitanos acreditavam que os templos foram construídos por uma raça gigantesca de pessoas – antgantija significa “Lugar dos Gigantes” em maltês.

Outra história relata que uma gigante que comeu nada além de favas e mel deu à luz a um filho de um homem comum. Com a criança pendurada no ombro, ela construiu os templos como local de culto.

Escavados em 1826, os arqueólogos acreditam que, como outros locais neolíticos nas ilhas, Ġgantija era um complexo de templos dedicado a uma divindade da fertilidade, uma teoria apoiada tanto pelo layout do templo (que se assemelha à forma de uma mulher gorda) quanto por artefatos encontrados no local, como numerosas figuras e estátuas femininas.

Uma possível mesa de sacrifícios
  • Como foram construídos?

A verdadeira técnica usada para erguer essas magníficas estruturas permanece desconhecida. Estudos descobriram várias pedras esféricas que levaram à suposição de que os construtores do templo rolaram os blocos de pedra nessas esferas para colocá-las no lugar. No entanto, é incerto como eles conseguiram colocá-los juntos.

  • A visita

A visita pelo complexo de Ġgantija começa com uma exposição: depois de comprar o ticket de entrada na recepção, você é encaminhado para um museu que apresenta a história do templos e que tem em seu acervo várias peças encontradas em escavações.

Entrada da recepção

Saindo do museu, passarelas montadas sobre o sítio arqueológico levam até as ruínas do templo.

Ġgantija consiste em dois templos separados: o templo sul e o templo norte, mas que são bem parecidos entre si. O templo sul é o maior, mais antigo e melhor preservado. Os restos de um terceiro templo também foram encontrados ao lado dos outros dois e os arqueólogos acham que essa estrutura foi abandonada antes mesmo da conclusão.

Embora as duas estruturas devessem originalmente ter telhados rebocados e pintados, hoje os templos permanecem sem teto, assim como a maioria dos locais megalíticos de Malta.

Ah, e é possível caminhar por dentro dos templos, através de passarelas que cortam os cômodos.

  • Horário de visitas

Horário de inverno (1º de outubro a 31 de maio)

Segunda a Domingo: 09.00 – 17.00hrs

Última entrada às 16h30

Horário de verão  (1º de junho a 30 de setembro)

Segunda a domingo: 09.00-18.00hrs

Última entrada às 17h30

Fechado em 24, 25 e 31 de dezembro, 1 de janeiro e sexta-feira

  • Valores

Adultos (18 a 59 anos): 9,00 €

Jovens (12 – 17 anos), Idosos (60 anos ou mais) e Estudantes: € 7,00

Crianças (dos 6 aos 11 anos): 5,00 €

Bebês (1-5 anos): Grátis

As taxas acima incluem a admissão nos Templos de antgantija e no Moinho de Vento Ta ‘Kola.

  • Se localize:

Rua John Otto Bayer, Xagħra, Gozo
Tel: +356 21 553 194

Entrada do sítio arqueológico

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *