Torre do Castelo: museu e mirante 360° em Campinas

Muitos campineiros não sabem, mas o mirante mais famoso da cidade é na verdade uma grandiosa caixa d’água hehe. Com 27 metros de altura e capacidade para 250 000 litros de água, a Torre do Castelo foi construída entre 1936 e 1940 com o objetivo de abastecer os bairros da região, uma das mais altas da cidade.

Já o popular “castelo” de seu nome, se deve pelo fato dele ser um reservatório do tipo castelo d’água, que nada mais é que uma torre elevada com uma caixa d’água na parte superior. Mas claro que a arquitetura do local ajuda muito a disseminar seu nome, já que ela muito se assemelha a um castelinho.

Porém, desde 2006, o nome oficial do espaço é Torre do Castelo – Vitor Negrete, em homenagem ao montanhista campineiro morto naquele ano durante uma escalada no Monte Everest. Vitor foi um dos primeiros brasileiros a escalar o Monte Aconcágua e marcou seu nome no hall de grandes nomes do esporte na cidade.

A Torre do Castelo também é um marco do art déco em Campinas, estilo arquitetônico extremamente difundido durante o governo Vargas e muito associado ao progresso e modernidade que as cidades brasileiras tanto almejam.

Inclusive, a sua construção fez parte do plano urbanístico de Francisco Prestes Maia, que reformulou o aspecto urbano de Campinas, além de ter sido uma das primeiras obras do bairro onde atualmente se localiza, representando também o crescimento urbano da cidade para a região norte.

Entrada da Torre do Castelo: arquitetura art déco

Mas depois de sua inauguração, a torre passou por outras três grandes reformas: 1972, 1991 e 1998, quando assumiu a sua atual configuração – são 3 níveis, onde ambos são abertos ao público: o térreo, onde há uma pequena recepção; o nível intermediário, onde há um museu; e o nível superior, onde está o mirante 360°. Vamos conhecê-los?!

  • Térreo: recepção

No térreo da torre há uma pequena recepção turística onde o funcionário local poderá lhe orientar e lhe auxiliar com possíveis dúvidas. Há também um caderno de visitantes, onde você pode escrever seu nome e cidade de origem, assim como há alguns informativos sobre a história do local. Destaque para a escadaria que leva aos pisos superiores.

  • Nível intermediário: Museu da Sanasa

A SANASA, sigla da Sociedade de Abastecimento de Água e Saneamento S/A, é desde 1974 a companhia responsável pelo saneamento básico de Campinas e ela é a responsável por manter esse pequeno museu na torre, com vários objetos utilizados no serviço de abastecimento da cidade do século XIX até a década de 1970.

O espaço é bem pequeno e as peças ficam espalhadas pelo chão, com algumas placas informativas. De qualquer forma, é interessante conhecer um museu voltado para esse tema.

  • Nível superior: o mirante

Esse é, claro, o ponto alto da visita a torre. Por se localizar em uma das áreas mais altas do perímetro urbano de Campinas, cerca de 735 metros de altitude, o mirante da Torre do Castelo oferece uma vista 360° da cidade, sendo possível avistar até mesmo a Serra do Japi em Jundiaí, localizado há mais de 40km de distância.

Os seis lados do mirante são identificados com informações sobre os lugares que podem ser vistos lá de cima.

Lado sudeste: é possível ver a Rua Oliveira Cardoso, o Jardim Guanabara em primeiro plano, os prédios do Cambuí no meio e no fundo o Jardim das Paineiras e outros bairros da Região Leste (Jardim Flamboyant, Chácara da Barra, Notre Dame e Vila Brandina).

Lado sul-sudoeste: essa é a minha vista preferida da Torre do Castelo, onde é possível ver a imensidão de prédios do Centro de Campinas, a Avenida Andrade Neve e o bairro Botafogo, assim como a região da Rodoviária, Vila Industrial e a nova Ponte Estaiada do BRT.

Lado oeste-sudoeste: veem-se a Avenida Alberto Sarmento (à esquerda) e a Rua Santo Antônio Claret (à direita), e os bairros do Bonfim e Jardim Chapadão.

Lado oeste-noroeste: vê-se aqui a Avenida João Erbolato e parte do Jardim Chapadão.

Lado norte-noroeste: é possível ver o trecho final da Avenida Andrade Neves e outra parte do Jardim Chapadão. Logo atrás dos prédios, está a sede da Escola Preparatória de Cadetes do Exército (EsPCEx).

Lado nordeste: infelizmente, vários prédios construídos nesse trecho impedem de termos uma vista privilegiada, mas ainda podemos ver um pouco da Avenida Francisco José de Camargo Andrade, os fundos da Igreja do Rosário e um trecho bem arborizado do Jardim Chapadão.

EAI, qual a sua vista preferida da Torre do Castelo? Me diga nos comentários 🙂.

  • Informações importantes:

Entrada Gratuita

Horários:
Segunda-feira: Fechado
Terça-feira: 10h–12h, 13h–17h
Quarta-feira: 10h–12h, 13h–17h
Quinta-feira: 10h–12h, 13h–17h
Sexta-feira: 10h–12h, 13h–17h
Sábado: 10h–21h
Domingo: 10h–21h

Lembrando que esses horários podem sofrer alterações devido a pandemia de Covid-19.

Telefone: (19) 3348-5613

  • Se localize:

A Torre do Castelo fica localizada na Praça 23 de Outubro, no Jardim Chapadão, bairro também conhecido como Castelo. Essa rotatória foi construída na década de 1930, junto com a torre, e foi inspirada na praça onde está o Arco do Triunfo em Paris – isso fica bem visível se visto de cima.

Várias ruas e avenidas importantes da cidade começam (ou terminam) na torre: Avenida Dr. Alberto Sarmento, Rua Santo Antônio Claret, Avenida João Erbolato, Avenida Francisco José de Camargo Andrade, Rua Oliveira Cardoso e a Avenida Andrade Neves, por isso, o movimento é sempre intenso por aqui.

Além disso, nos últimos anos, vários eventos de música e gastronomia estão acontecendo na praça, o que ajuda a integrar a torre com a população =)

 

  • Fontes:

  1. https://www.campinasvirtual.com.br/torre-do-castelo.html
  2. https://pt.wikipedia.org/wiki/Torre_do_Castelo_(Campinas)
  3. CONDEPACC – Conselho de Defesa do Patrimônio Cultural de Campinas

Conheça o Bosque dos Jequitibás, o parque mais antigo de Campinas

Trilhas do Bar da Cachoeira e do São Vicente em Joaquim Egídio

Passeio de caiaque no Parque da Cidade em Jundiaí

Saiba tudo sobre o passeio de Maria-Fumaça entre Campinas e Jaguariúna

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *