Conhecendo o Lago do Café em Campinas

Bem ao lado da Lagoa do Taquaral, o parque mais famoso e visitado de Campinas, há um outro espaço verde muito bonito, mas pouco conhecido e que merece ser redescoberto pela população: o Lago do Café, histórico espaço que abriga museus, áreas de convívio e bonitas construções.

  • História

A grande área verde que hoje forma o Lago do Café pertencia a sesmaria de Francisco Barreto Leme, fundador de Campinas (que na época era a Freguesia de Nossa Senhora da Conceição das Campinas do Mato Grosso), e que produzia milho, feijão, cana-de-açúcar e aguardente.

Já no século XIX, a sesmaria passou a fazer parte da vizinha Fazenda Taquaral, investindo ativamente na produção de café, permanecendo assim até a década de 1940. Com a crise cafeeira, a Fazenda Taquaral foi desmembrada e boa parte de suas terras passaram a ser administrados pelo Instituto Brasileiro do Café (IBC), que realizou inúmeras pesquisas agrícolas no local.

Construções ajudam a preservar a história do local

Com o fim do IBC, a área de 330.000 m² foi doada para a Prefeitura Municipal de Campinas, que ali inaugurou, em 1992, o Lago do Café.

  • A polêmica das capivaras

Durante muito tempo, o Lago do Café esteve envolvido em uma grande polêmica envolvendo questões sanitárias e as inúmeras capivaras que vivem no local. Isso porque esses roedores, assim como os cavalos, são hospedeiros do carrapato-estrela, que por sua vez é o principal agente causador da Febre Maculosa, que em meados de 2008, causou várias mortes na cidade, incluindo 3 funcionários do parque. O espaço foi fechado naquele ano e em 2011, 20 capivaras foram abatidas com o intuito de conter o avanço da doença, o que causou grande polêmica na cidade.

Já sem capivaras e depois de limpo e inspecionado, o parque foi reaberto em 2013, mas com o tempo, várias outras capivaras, vindas principalmente da vizinha Lagoa do Taquaral, se instalaram no local.

Apesar disso, uma visita ao parque é segura, desde que as recomendações de não pisar na grama ou entrar no lago sejam seguidas – há várias placas informativas espalhadas pelo espaço. Mesmo assim, poucas pessoas o visitam, principalmente por não saberem que o local está aberto e é seguro. Na minha última visita, em um domingo a tarde, haviam apenas 4 pessoas caminhando ali =(

Avenida do Café, principal alameda do parque, completamente vazia em um domingo a tarde
  • O que visitar:

  • Lagos e vegetação

O parque abriga três lagos, todos interligados e cercados por muitas árvores e pistas de caminhadas.

  • Casarão Histórico – Museu do Café

O parque abriga desde 1996 o Museu do Café de Campinas, que tem o objetivo de preservar a história da Fazenda Taquaral e a memória cafeeira em Campinas. O museu fica instalado em um bonito casarão térreo de 1972, que por sua vez, é uma réplica da antiga sede da Fazenda Taquaral. O museu abriga móveis, objetos e documentos desse e de outros lugares ligados a cultura cafeeira.

Infelizmente, o museu estava fechado no dia da minha visita, mas a parte externa apresentava estar abandonada, o que é muito triste.

Em frente ao casarão, há uma pequena pracinha e uma construção bonitinha que parece uma casa de bonecas.

  • Casa de Vidro

Construída na década de 1970, a Casa de Vidro foi projetada pelo arquiteto Roberto José Goulart Tibau (1924-2003) para ser a sede do Instituto Brasileiro do Café. De estilo brutalista, onde o concreto e o vidro marcam presença, o edifício é cercado por um espelho d’água (que estava desligado), sendo uma das construções mais bonitas de Campinas, na minha humilde opinião.

Entre 1994 e 2002, a casa sediou a Secretaria de Cultura, Esportes e Turismo de Campinas e o Arquivo Municipal de 2002 a 2016. Atualmente, abriga o acervo do Museu da Cidade, formado por itens que ajudam a preservar e contar a história de Campinas (esse acervo ficava localizado em um prédio no centro, que precisou ser fechado por péssimas condições).

  • Se localize:

Lago do café

Endereço: Avenida Doutor Heitor Penteado, 2.145, Parque Taquaral – Campinas/SP
Aberto todos os dias das 7h às 18h 
Telefone: (19) 3296-1104
E-mail: museudocafe@campinas.sp.gov.br
Entrada Gratuita

 

Fontes:

– https://conheca.campinas.sp.gov.br/pois/49
– https://portal.campinas.sp.gov.br/noticia/32659

 

Você também irá gostar:

Torre do Castelo: museu e mirante 360° em Campinas

Lagoa do Taquaral: muito esporte e lazer no principal parque de Campinas

Trilhas São Vicente e do Bar da Cachoeira no distrito de Joaquim Egídio

Passeio de Maria Fumaça Campinas-Jaguariúna

Rua Camargo Paes, um pedacinho do Japão em Campinas

Bosque dos Jequitibás: o mais antigo parque de Campinas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *