Visitando o Solar do Barão e o Museu Histórico Cultural de Jundiaí

Sabe aquele lugar que muitas vezes passa despercebido em meio a muvuca dos centros das cidades, mas que guarda muitos encantos quando descobertos? Pois é, o Solar do Barão de Jundiaí, em Jundiaí, tem bela arquitetura e abriga um museu, jardins e muita história. E recentemente, eu tirei algumas horinhas de um sábado a tarde para visitar o espaço e conto um pouco mais sobre ele abaixo.

Um dos salões do Solar, que abriga o Museu Histórico Cultural de Jundiaí
Olha eu no grande salão do Solar
Jardins do Solar
  • Mas quem foi o Barão de Jundiaí?

Antônio de Queirós Teles (1789-1870) foi um dos maiores produtores de café e cana-de-açúcar da região e proprietário de grandes latifundios. Sua influência era tanta que além de ter sido juiz de paz e delegado de polícia, chegou a ter também cargos políticos importantes, como vereador, membro da assembleia provincial e deputado.

Foi também o responsável pela fiscalização da estrada que liga São Paulo e Campinas, justamente por ter sido um dos maiores incentivadores das estradas de rodagem na época.

  • O Solar

O Solar foi erguido em 1862 a mando de Antônio Teles, para ser a sua residência oficial, ali no centro histórico da cidade, na antiga Rua Direita (atual Barão de Jundiaí). Construída em taipa de pilão e com arquitetura típica do período cafeeiro paulista, o solar foi reflexo do novo cenário urbano que surgia em Jundiaí com a chegada da linha férrea.

Com planta térrea, os inúmeros cômodos do casarão estão bem preservados e mantém em suas paredes as pinturas da época – é muito bonito de ser ver. Mas o grande destaque para mim é o salão principal, que é emoldurado por um grande lustre. Já a fachada de cor amarelada, muito conhecida entre os frequentadores do Centro, tem 10 grandes janelas, com a entrada principal ao centro.

Pinturas

E ao longo das décadas, além de ter sido palco de inúmeras festas da nobreza, o Solar foi cenário para a tomada de decisões que mudariam de vez Jundiaí, como a sua elevação de vila para cidade. Já entre os seus visitantes ilustres, recebeu o Cardeal Arcoverde, Ruy Barbosa e os presidentes da República Jorge Tibiriçá, Rodrigues Alves, Washinton Luiz, Júlio Prestes e Heitor Penteado. Ah, não poderia deixar também de citar que o imperador Dom Pedro II e a Imperatriz DonaTereza Cristina se hospedaram ali em 1876.

Tanto pela sua arquitetura, quando por sua história, o Solar do Barão de Jundiaí é tombado pelo CONDEPHAAT desde 1970 como patrimônio histórico do Estado de São Paulo.

Auditório
  • O Museu

O Museu Histórico Cultural de Jundiaí foi inaugurado em março de 1965 pelo padre Antônio Tolloi Maria Stafuzza, com a intenção de preservar e divulgar a história da cidade. Curiosamente, antes de se instalar definitivamente em 1982 no Solar do Barão, o museu teve outros três endereços: Parque Comendador Antônio Carbonari, a Praça dos Andradas e a rua Rangel Pestana.

Atualmente, além do acervo permanente formado por antigos objetos e mobiliários do solar, o museu conta com a Sala Jahyr Accioly de Souza, um auditório para 80 pessoas, e espaços para exposições.

Inclusive, na minha última visita, o museu estava com uma linda exposição intitulada Legados de Glória: Memórias da Dança em Jundiaí, que relembra a trajetória de Glória Rocha, pioneira da dança na cidade e criadora da primeira escola de dança em São Paulo.

Exposição “Legados de Glória”
Exposição “Legados de Glória”
Exposição “Legados de Glória”
  • O jardim

Mas a minha parte favorita do solar é o lindo jardim localizado aos fundos. Extremamente arborizado e bem cuidado, o jardim tem bancos para descanso, playground, área para piqueniques e um jardim japonês com fonte e ponte. Além disso, há placas informativas com QRCodes espalhados contando um pouco sobre espécies de aves da região.

Olha, se você está buscando um lugar relaxante em meio a loucura da área urbana, esse jardim é o que você procura! No dia da minha visita, não havia ninguém ali nos jardins, eram apenas eu a natureza.

  • Informações importantes:

Endereço: Rua Barão de Jundiaí, 762, Centro – Jundiaí/SP
Telefones: (11) 4521-62594586-8414
E-mail: museusolardobarao@jundiai.sp.br

Horário de funcionamento: os jardins ficam abertos diariamente, das 10h às 17h.

Entrada gratuita!

  • Se localize:

 

Fontes:

  • https://pt.wikipedia.org/wiki/Solar_do_Bar%C3%A3o_de_Jundia%C3%AD
  • https://pt.wikipedia.org/wiki/Ant%C3%B4nio_de_Queir%C3%B3s_Teles,_bar%C3%A3o_de_Jundia%C3%AD
  • https://cultura.jundiai.sp.gov.br/espacos-culturais/museu-historico-e-cultural-de-jundiai/
  • https://jundiagora.com.br/historia-solar-barao/

 

VOCÊ TAMBÉM IRÁ GOSTAR:

Passeio de caiaque em Jundiaí-SP com a Velas do Japi

Teju Bakery em Jundiaí: pães e doces artesanais

Villa Brunholi: restaurante, adega e museu em Jundiaí

Conhecendo a Adega e Cervejaria Galvão

Conheça a Adega Maziero e o famoso “vinho do papa” de Jundiaí

Um dia em Indaiatuba-SP: fotos, história e roteiro de atrações

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *