Roteiro de um dia em Sarajevo: o que ver e fazer na capital da Bósnia e Herzegovina

Sarajevo é uma daquelas cidades subestimadas da Europa e que passa batido da lista de viagens de turistas mundo a fora, mas Sarajevo é também diferente de qualquer outra capital europeia, já que ao explorar a cidade, você encontrará mercados turcos e otomanos e tradições culinárias; arquitetura austro-húngara; e, infelizmente, as cicatrizes da Guerra da Bósnia.

E a cidade respira história. Só para se ter uma ideia, foi em Sarajevo que se deu início à Primeira Guerra Mundial e onde se é registrado o mais longo cerco do mundo na história moderna, o Cerco de Sarajevo – curiosamente, o primeiro e o último dos eventos mais importantes do século XX, aqueles que tiveram grande impacto no mundo em que vivemos atualmente, aconteceram nesta mesma cidade.

Mas mais importante ainda, Sarajevo é uma cidade de beleza especial, resultado de uma mistura única de culturas que poucos lugares do mundo tem.

Panorama da cidade a partir de um de seus mirantes: repare no contraste entre as torres de igrejas, minaretes e grandes edifícios
  • Um pouco de sua história

Antes de começar o roteiro de um dia em Sarajevo, é importante sabermos um pouco da história da capital da Bósnia e Herzegovina. E haja história para contar. Por isso, vou fazer um pequeno resumo para vocês.

  • Sarajevo foi fundada no século XV  pelo Império Otomano e cresceu em torno de um mercado de estilo turco, onde várias mesquitas e pousadas começaram a ser construídas.
  • Já no século XVI, a primeira igreja ortodoxa da cidade é construída, ao mesmo tempo que inúmeros judeus sefarditas chegam, fugindo da perseguição na Espanha e em Portugal.
  • Em 1878, Sarajevo e o resto da Bósnia-Herzegovina são anexados ao Império Austro-Húngaro.
  • Já em 1914, o assassinato do arquiduque Franz Ferdinand do Império Austro-Húngaro e sua esposa por Gavrilo Princip, um bósnio e autodeclarado iugoslavo, e membro da Jovem Bósnia, dá inicio a Primeira Guerra Mundial. Apesar disso, a cidade foi pouco atingida pelos estragos da guerra.
  • Com o fim da guerra, o Império Austro-Húngaro perde seu poderio, colapsando, e a Bósnia-Herzegovina torna-se parte do Reino dos Sérvios, Croatas e Eslovenos, o chamado Reino da Iugoslávia – nesse período, Sarajevo tornou-se a capital da província de Drina.
  • Poucos anos depois, durante a Segunda Guerra Mundial, a cidade viria a sua população judaica cair 10.000 para menos de 1.000. Um reflexo da ocupação nazista, que colocou Sarajevo sob controle de fascistas croatas pró-Hitler e enviaram centenas de milhares de pessoas para campos de extermínio.

  • Em 1945, Sarajevo torna-se parte da República Federal Socialista da Iugoslávia.

  •  O grande boom turístico e econômico veio nos anos 1980, quando Sarajevo sediou os Jogos Olímpicos de Inverno de 1984.
  • Em 1992, durante o colapso da República da Iugoslávia, muçulmanos bósnios e croatas bósnios votam pela independência da Bósnia-Herzegovina, ao mesmo tempo que sérvios bósnios, principalmente ortodoxos e apoiados pela Sérvia, declaram que Sarajevo e outros territórios bósnios são partes de uma nova nação sérvia, a Republika Srpska (RS). Esse é o início da chamada Guerra da Bósnia.
  • Ainda em 1992, Sérvios da Bósnia cercam Sarajevo, dando início ao momento mais sangrento da guerra.
  • Em 1995, os Acordos de Dayton encerram o cerco e dão fim a guerra, dividindo a Bósnia e Herzegovina em duas: de um lado, a federação de muçulmanos bósnios e croatas bósnios e de outro lado, uma república de sérvios bósnios. A maior parte do território de Sarajevo e mais de 90% de seus moradores estão dentro da federação de muçulmanos e croatas.

As estimativas sugerem que cerca de 100.000 pessoas foram mortas durante a guerra no país (estudos dizem que esse número pode ser bem maior) e apesar do país ter sido reconstruído, as cicatrizes da guerra ainda não cicatrizaram (e talvez nunca cicatrizarão) – e os inúmeros cemitérios construídos para as vítimas da guerra espalhados pela cidade não nos deixam esquecer disso.

  • Como chegar na cidade a partir de Mostar

Durante a minha viagem pela Bósnia e Herzegovina, utilizei Mostar como base para conhecer outras regiões do país e a minha ida para Sarajevo se deu a partir dessa cidade. De Mostar a Sarajevo, fiz o trajeto de ônibus e para voltar, fiz o trajeto de trem – conto mais sobre a seguir.

  • Ônibus

A maneira mais fácil e utilizada pelos turistas para viajar de Sarajevo a Mostar ou vice e versa é de ônibus. A maioria dos ônibus chegam e partem da Estação Rodoviária Central de Sarajevo – os ônibus de Mostar chegam e partem daqui. Há também a Estação East Sarajevo, de onde chegam e partem os ônibus de Belgrado.

A principal companhia que faz o trajeto Sarajevo-Mostar é a EuroLines.

Os ônibus de Mostar para Sarajevo partem nos horários definidos abaixo:
04:55, 06:00, 07:00, 08:00, 09:00, 09:30, 12:10, 12:50, 15:00, 16 :00 e 18:15.

Já os ônibus de Sarajevo para Mostar:
06:15, 06:00, 08:15, 09:00, 09:55, 11:30, 12:30, 12:45, 13:00, 14:30, 15 :30, 18:00 e 19:55.

A passagem custa 17 BAM (equivalente a aproximadamente € 8,50) e o trajeto leva cerca de 2h30 horas. Você também precisará pagar 2 BAM se tiver bagagem para colocar no porão e 1 BAM se precisar usar o banheiro na Rodoviária de Sarajevo ou na Rodoviária de Mostar.

  • Trem

A rota de Sarajevo a Mostar é uma das poucas nos Balcãs onde existe realmente a opção de pegar o trem e eu fiz questão de fazer esse trajeto no final da minha viagem.

Atualmente, existem dois trens diários que operam esta rota com partida às 07h15 e 16h49 de Sarajevo e chegada em Mostar às 09h05 e 18h44. Se você estiver pegando o trem de Mostar para Sarajevo, ele sai às 06h39 e 17h05, chegando às 08h33 e 18h55. As chegadas e partidas se dão a partir da Estação Ferroviária Central, que fica ao lado da Rodoviária Central.

Estação Ferroviária Central

Os bilhetes para o assento de segunda classe custam 11,90 BAM e é possível comprar bilhetes online até três horas antes da partida ou diretamente na estação de trem.

Eu, particularmente, achei a viagem de trem mais interessante do que a de ônibus – apesar que os horários mais restritos podem ser um impecilho para quem tem um roteiro mais apertado. Os trens são antigos, mas confortáveis e a viagem é super tranquila. Isso sem falar nas lindas paisagens ao redor – esse foi um dos trajetos de trem mais bonitos que já vi =)

Paisagem ao longo do trajeto de trem
  • Quantos dias em Sarajevo

A cidade não é muito grande e a maioria de suas atrações ficam localizadas no Centro Histórico, facilitando a locomoção. Por isso, um dia é mais que suficiente para visitar Sarajevo – e foi o que eu fiz.

Muitas pessoas visitam Sarajevo através de excursões ou com tours guiados, que geralmente deixam um roteiro programado para a manhã ou tarde e o resto do dia livre, o que pode otimizar muito a sua visita. Eu fiz todo o meu roteiro por conta e achei a cidade bem tranquila para se visitar a pé.

  • O que visitar

  • Baščaršija – Centro Histórico de Sarajevo

Bem-vindo à parte mais famosa de Sarajevo – o mercado ao ar livre! Baščaršija é o antigo bazar de Sarajevo e o centro histórico e cultural da cidade. Baščaršija foi construído no século XV, quando Isa-Beg Ishaković fundou a cidade e seu nome deriva da língua turca, onde “baš” significa “cabeça”, ou “primário”, “capital” e “čaršija” significa “bazar” ou “mercado.

E uma das coisas legais para se fazer aqui é caminhar sem rumo pelas ruas antigas da região e claro, alimentar os pombos da praça central haha.

  • Rua Sarači

A rua Sarači tem seu nome derivado de Saraç, uma palavra turca para artesãos que fazem selas e, ao longo de sua extensão, há inúmeras lojas com produtos tradicionais locais. Quando estiver caminhando pela rua, perceba que ela separa (ou conecta) as características da cultura oriental e ocidental herdadas durante a sua história.

  • Sebilj

A Sebilj é uma fonte de madeira de estilo otomano localizada no centro da Praça Baščaršija e que foi construída por Mehmed Pasha Kukavica em 1753. De acordo com uma lenda local, os visitantes que beberem água desta fonte retornarão a Sarajevo algum dia – eu não cheguei a tomar =(

  • Vijećnica

Principal marco arquitetônico de Sarajevo, este edifício foi projetado em 1891 pelo arquiteto tcheco Karel Pařík para ser a câmara municipal – que ocupou a propriedade até 1949, quando foi entregue à Biblioteca Nacional e Universitária da Bósnia e Herzegovina, com um acervo de 1,5 milhão de volumes e mais de 155.000 livros e manuscritos raros.

Em 25 de agosto de 1992, o bombardeio sérvio durante o cerco de Sarajevo causou a destruição completa da biblioteca e entre as perdas estavam cerca de 700 manuscritos e incunábulos, assim como uma coleção única de publicações seriadas bósnias.

Reconstruído, mas mantendo as suas lindas influências árabes, o prédio voltou a fazer parte da Prefeitura Municipal.

  • Ponte Šeher-Ćehaja

Durante o domínio otomano, 13 pontes foram construídas em Sarajevo e uma das mais importantes é a Ponte Šeher Ćehaja, que significa “Ponte do Prefeito”, provavelmente construída em 994 a.C. Fica em frente ao prédio do Vijećnica.

  • Rio Miljacka

O Miljacka corta a cidade e origina-se da confluência dos rios Paljanska Miljacka e Mokranjska Miljacka, tendo apenas 21 quilômetros de comprimento.

  • Ponte Latina

O local que eu estava realmente ansioso para visitar era a Ponte Latina. Este é o local onde o arquiduque Franz Ferdinand e sua esposa foram assassinados, o que levou ao início da Primeira Guerra Mundial em 1914.

A ponte original era feita de madeira e foi construída no século XVI. Com as constantes inundações, a Ponte Latina foi reprojetada em estilo otomano.

  • Museu Sarajevo 1878 – 1918

A exposição permanente contém uma coleção de itens e fotografias com as quais o museu apresenta a história cronológica do domínio austro-húngaro na Bósnia e Herzegovina. Ele fica localizado em frente a Ponte Latina, na esquina onde o arquiduque Franz Ferdinand foi assassinado.

  • Mesquita Gazi Husrev-beg

Essa é a maior mesquita histórica da Bósnia e Herzegovina e uma das estruturas otomanas mais representativas dos Balcãs. Sendo a mesquita central de Sarajevo desde os dias de sua construção, hoje também serve como a principal mesquita congregacional dos muçulmanos no país.

  • Catedral do Sagrado Coração

A Catedral do Sagrado Coração é a maior catedral católica do país, sendo sede do Arcebispo de Vrhbosna. Foi construída em 1881, em estilo neogótico.

Há uma estátua do Papa João Paulo II na entrada, homenagem a uma visita ocorrida em 1997 após o fim da guerra.

  • Tašlihan perto do Hotel Europa

As ruínas de Tašlihan são resquícios do que acredita-se ser um antigo forte, construído entre 1540 e 1543 pelo governador otomano Gazi Husrev Bey.

Hoje, serve como jardim de verão do Hotel Europe de Sarajevo.

  • A Mesquita do Imperador

Essa é a primeira mesquita a ser construída após a conquista otomana da Bósnia, em 1457.

  • Igreja de Santo Antônio

A demolição da antiga igreja ocorreu em 1912 e um novo prédio em estilo neogótico foiconstruído no final do mesmo ano.

  • Catedral da Natividade de Theotokos

Construída entre 1863 e 1868, essa é a maior igreja ortodoxa sérvia em Sarajevo e uma das maiores nos Balcãs. Curiosamente, depois que a igreja foi construída, sua torre se tornou muito mais alta que a maioria das mesquitas da cidade, o que tornou-se um ponto sensível para os muçulmanos conservadores locais que queriam que as limitações tradicionais à arquitetura não muçulmana fossem impostas.

  • Fortaleza Amarela

Foi construído entre 1727 e 1739 e serviu como um dos pontos de defesa contra as tropas austro-húngaras em 1878. A fortaleza foi danificada e reconstruída várias vezes.

  • Kasarna Safet Hadžić

Este complexo militar foi construído em etapas, começando no período austro-húngaro e finalizado em 1948. Já de 1995 a 2002, partes do complexo foram usadas para acomodar unidades das Forças Armadas FBiH e BiH, tendo sido muito danificado durante a guerra.

Todo o complexo, juntamente com as suas estruturas adjacentes, foi colocado na lista de Monumentos Nacionais da Bósnia em 2009.

  • Rua Marechal Tito

A rua Marechal Tito é uma das principais ruas de Sarajevo e presta homenagem a Josip Broz Tito, ex- presidente da Iugoslávia .

Ao longo da rua encontra-se a principal rota dos bondes de Sarajevo .

  • Parque Veliki

O Parque Veliki é a maior área verde no centro de Sarajevo. Bem arborizado, abriga um monumento dedicado aos Filhos de Sarajevo que morreram durante a guerra da Bósnia.

  • Mesquita Ali Pasha

Foi construída durante 1560-1561 como um vakıf – ou doação perpétua – de Sofu Hadım Ali Pasha, um estadista otomano que serviu como governador do Eyalet da Bósnia do Império Otomano, após sua morte em setembro de 1560.

  • Edifício da Presidência da Bósnia e Herzegovina

Construído entre 1884 e 1886, o edifício é sede do regime austro-húngaro, abrigando o governo e departamentos militares, bem como tribunais e salas cerimoniais.

  • Igreja de São José

O projeto inicial da igreja de São José foi feito por Karel Pařík e sua construção começou em 1936 e foi inaugurado em 1940.

  • O que eu achei da cidade?

Não sei se foi um reflexo do tempo nublado que me acompanhou durante toda a minha viagem pela Bósnia e que me deixou cabisbaixo, mas apesar das lindas belezas naturais e arquitetônicas que vi, o clima local me fez refletir muito sobre os horrores da guerra – são inúmeros museus e memoriais sobre isso espalhados pela cidade, assim como ainda há muitos prédios com marcas dos bombardeios.

Por isso digo que uma viagem a Sarajevo é, antes de mais nada, uma viagem ao tempo e uma oportunidade de aprendermos a sermos seres humanos melhores.

Fora isso, achei Sarajevo uma cidade vibrante, organizada e limpa. Há uma parte histórica com edifícios bem preservados e uma predominância religiosa bem grande, mas também há uma parte super moderna, que lhe faz sentir em uma grande cidade industrializada.

Parte moderna de Sarajevo

  • Se localize:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *