Passeio de buggy em Porto de Galinhas: praias do Cupe, Muro Alto e Maracaípe

Difícil imaginar Porto de Galinhas sem os tradicionais buggys que circulam pela região e que levam centenas de turistas todos os dias para conhecer alguns dos lugares mais lindos do litoral pernambucano. Claro que se você estiver de carro, consegue fazer o mesmo trajeto do buggy, mas vá por mim, não será a mesma coisa =)

Bugs circulando pela cidade
  • Como é o passeio de buggy?

Entre as opções disponíveis, o passeio de buggy de “Ponta a Ponta” é o mais tradicional de todos, pois ele literalmente vai de um extremo a outro de Porto de Galinhas passando pelos principais pontos turísticos: de um lado a Praia de Muro Alto e sua gigantesca piscina natural, e do outro o Pontal de Maracaípe, famoso pelo pôr do sol, passando pelo túnel verde, o centrinho de Porto e a rota dos coqueiros.

E foi justamente esse trajeto que eu, o Dani e o Lucas, meus companheiros de viagem, fizemos durante a nossa trip.

 

Algumas agências incluem outros pontos de parada no trajeto, como a Praia de Camboa, mas essa prática é mais comum em passeios de um dia todo. De qualquer forma, é sempre importante confirmar com a sua agênciaguia os pontos de parada certinho.

No geral, há passeios de 4 horas, 6 horas e de 8 horas (dia todo), com valores que variam de R$200 a R$500. O buggy tem capacidade para até 4 pessoas + o motorista (3 pessoas vão na parte superior, que é aberta).

Tradicional buggy de Porto de Galinhas

Até antes da Pandemia de Covid-19, era comum você dividir o buggy com outras pessoas se caso você estivesse com poucos acompanhantes. Atualmente, porém, por questões de segurança, os passeios privativos predominam – paga-se um valor fixo pelo carro e só você e seus acompanhantes irão utilizá-lo, independente da quantidade de pessoas que o acompanha.

Ainda sobre a Covid, por medidas de segurança, a maioria dos estabelecimentos no estado de Pernambuco estão pedindo o comprovante de vacinação contra a Covid, inclusive nos passeios de buggy, então fique atento.

Uma outra informações importante é que os buggys de Porto de Galinhas não percorrem a areia das praias, ao contrário de outras localidades famosas do Nordeste, para proteger a fauna e flora local – muitas tartarugas desovam nas areias da região. Por isso, o trajeto é feito quase que sempre por estradas.

  • Onde fechar o passeio de buggy?

Há inúmeras agências de turismo em Porto de Galinhas que oferecem o passeio de buggy, sendo assim, você não precisa necessariamente fechar o passeio com tanta antecedência – um dia antes está mais que suficiente. Claro que também é possível fechar o passeio na hora, mas atente-se aos horários de saída e também a demanda – aos finais de semana a procura é extremamente alta.

Algumas das agências mais conhecidas e bem avaliadas são a Sol e Mar Tour, a Luck Receptivo e a Rota do Sol.

A maioria dessas agências tem lojas físicas em Porto, mas também é possível fechar esse passeio através dos inúmeros vendedores que ficam perambulando pelo centrinho e que oferecem os mais diversos tipos de tour pela cidade – são tantos vendedores te abordando a toda hora que chega a cansar hehe.

De qualquer forma, independente da maneira que você fechar o passeio, certifique-se que o buggy é credenciado, pois isso irá trazer mais segurança para você e também para a cidade como um todo. Assim como também é importante comparar preços.

Centro de Porto de Galinhas: lugar com grande demanda de passeios de buggy

Eu e os meninos chegamos em Porto de Galinhas pela manhã, vindos de Recife, e a princípio não pretendíamos fazer o passeio de buggy – estávamos em uma vibe mais sol e mar, por isso não reservamos nenhum passeio de antemão. Porém, depois do almoço, sentimos uma vontade louca de fazer o passeio e saímos na caçada por agências haha.

Como já eram quase 15h30, acabamos nos rendendo a um simpático vendedor que nos abordou ali no centro mesmo. À principio, ficamos um pouco receosos, mas depois de fazer várias perguntas a ele, acabamos fechando o passeio de 4h por R$250 – metade do valor foi pago antes e o restante no término do passeio.

Negócio fechado, ele nos guiou até o carro, que estava estacionado em uma travessa bem próxima da rua das sombrinhas, onde o “bugueiro”, motorista e guia desse buggy, nos esperava. Ele é tio do menino que nos abordou e foi extremamente simpático conosco (infelizmente não sei o seu nome).

Ele trabalha por conta própria, sem estar vinculado a nenhuma agência, e apesar do carro ser credenciado, notei que ele aparentava estar um pouco mais velhinho que os demais carros que vimos circulando por Porto, principalmente por conta das ferrugens a mostra. Isso não foi um problema para nós, porém, se você preferir, dê uma conferida nos carros antes de fechar o seu passeio.

O nosso buggy

  • O nosso passeio:

Já dentro do buggy, iniciamos o nosso passeio circulando as ruas do centro até cairmos na PE-009, a rodovia que dá acesso Porto de Galinhas e por ela seguimos por uns 10 minutos até uma estrada que dá acesso ao litoral e a nossa parada. Com seguimos por uma rodovia e o transito é constante, redobre a atenção para não se desiquilibrar caso esteja na parte superior.

Rodovia PE-009
Já entrando na estrada que leva ao litoral
  • Praia do Cupe

Depois de uns 15-20 minutos de estrada, chegamos na primeira parada do passeio.

Uma das mais bonitas praias de Porto de Galinhas, o Cupe tem 4,5 km de extensão, boa infraestrutura e apesar de ser um dos lugares preferidos dos surfistas, devido as suas fortes ondas, tem também alguns trechos com piscinas naturais, ideal para quem procura mais tranquilidade.

Aqui, a nossa parada foi no Restaurante Pirajuba, localizado a beira mar, em frente ao Pontal do Cupe. Especializado em frutos do mar, o Pirajuba é um dos queridinhos da região, tendo avaliação 4,5 no TripAdivisor. Tem um ambiente super bonito que mistura restaurante com beach club, música ao vivo e um bom atendimento.

Como a parada é de 45 minutos, não conseguimos conferir o cardápio do Pirajuba, mas deu tempo de um cafezinho (R$4,50) e também de tirar muitas fotos.

  • Túnel Verde

Saindo do Cupe, o buggy segue por uma estradinha de terra que ficou conhecida como “túnel verde”, por estar cerca de muita vegetação de uma área de preservação. Aqui não há paradas, o carro apenas corta a mata e o trajeto é bem rápido hehe. No fim do “túnel”, saímos na Estrada Praias de Muro Alto e Camboa, que como o nome diz, leva até o nosso próximo destino.

  • Praia do Muro Alto

É em Muro Alto que está a maior piscina natural da América Latina, formada a partir da barreira de arrecifes que se estende pelos quase 3km da praia. Já o seu nome é devido a elevação que há entre a costa e o mar, que forma um “muro alto”.

Muro Alto também é famosa pelos grandiosos resorts all inclusive que tomam quase que toda a orla. Até por isso, o acesso a faixa de areia é difícil e são poucos os acessos.

Um dos poucos acessos a praia de Muro Alto

Entre os resorts mais badalados, destaque para o Nannai, que oferece chalés com piscinas privativas, sauna e spa, e o Samoa Beach Resort, que tem uma grandiosa piscina de frente para o mar. Já o Marulhos Suítes Resort tem estrutura completa de lazer, com parque aquático e quadras poliesportivas.

Para quem não está hospedado nesses resorts, um dos melhores trechos é o próximo da Praia de Camboa, onde ficam o Bar da Praia, a Barraca da Ana e a Barraca Paulista, os centros de apoio mais famosos de Muro Alto.

O nosso bugueiro nos deixou no Bar da Praia, o maior e com mais infraestrutura deles. O espaço é super bacana, tem ofurô, sala de massagem, café, restaurante e um atendimento de primeira.

Como a maré já estava alta, não conseguimos aproveitar totalmente a piscina natural, mas o lugar é realmente muito bonito – para aproveitar ao máximo, faça seu passeio de buggy pela manhã, quando a maré baixa faz a experiência ser diferente. Inclusive, você pode andar de caiaque.

Ali em Muro Alto, precisamos decidir se continuaríamos curtindo a praia ou se partiríamos para Maracaípe, para ver o pôr do sol. Infelizmente, devido ao horário tardio que iniciamos o tour, não conseguiríamos aproveitar as 4h pagas, então decidimos partir – ficamos cerca de 30 minutos ali.

  • Rota dos Coqueiros

Partindo de Muro Alto, fizemos o caminho inverso, cruzamos o Centro de Porto novamente e seguimos em direção ao sul. Ali, um pouco antes de Maracaípe, passamos por dentro de um grande coqueiral – ponto sem parada.

  • Maracaípe e Pôr do Sol

Depois de admirar os belos coqueiros, finalmente chegamos no Pontal de Maracaípe, um dos extremos do litoral de Porto de Galinhas, lugar com ar rústico e que transmite muita paz (principalmente por ter menos turistas).

A praia de Maracaípe

Devido ao horário, para não perdermos o pôr do sol, voltamos novamente para o coqueiral até um lugar conhecido como Ruínas do Coqueiral de Maracaípe, que na verdade é um antigo criador de camarões abandonado há anos.

Bem ao lado há uma parte elevada e é ali que os buggys param para que os turistas possam apreciar o pôr do sol. No final, apesar da correria, não nos arrependemos, pois o pôr do sol ali foi lindo demais!!!

Carros estacionados
Esperando o pôr do sol

Ficamos cerca de 40 minutos ali admirando o pôr do sol. Depois, quando começou a escurecer, voltamos para o centro de Porto de Galinhas, onde pegaríamos o nosso transfer até o Recife.

  • E no final, valeu a pena?

Infelizmente não conseguimos 100% do passeio de buggy, devido ao horário que iniciamos o tour. Com isso, precisamos fazer paradas rápidas nos pontos de interesse, para assim não perdermos o pôr do sol, que queríamos muito ver. Por isso, caso fique 2 dias ou mais em Porto de Galinhas, deixe um dia destinado apenas para o buggy e de preferência para fazer o passeio pela manhã.

Caso fique apenas um dia, como foi o nosso caso, tente iniciar o passeio até no máximo às 13h, para não ficar nessa correria doido que ficamos haha. De qualquer forma, ficamos muito satisfeitos com a experiência e pretendemos voltar no futuro, mas com a lição aprendida =)

Olha eu no Pontal de Maracaípe

Alto do Cruzeiro e a melhor vista panorâmica de Maragogi-AL

Viagem para os Lençóis Maranhenses

Bora Bora Beach Club na Praia dos Carneiros: vale a pena?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *