Copacabana além da praia: atrativos no bairro mais famoso do Rio de Janeiro

Copacabana é a cara do Rio de Janeiro: edifícios de luxo dividem espaço com quitinetes; hotéis sofisticados são erguidos ao lado de botecos; boutiques e marcas renomadas convivem com mercearias e feiras populares no comércio de rua do bairro; personalidades brasileiras caminham pela orla ao lado de turistas e moradores anônimos. Mesmo como fim de sua época de ouro, o crescimento da prostituição, surgimento de favelas e a descaracterização de boa parte de suas construções remanescentes, Copacabana continua sendo a  “princesinha do mar”, como a chamaram os compositores Braguinha e Alberto Ribeiro. Considerado o bairro mais democrático da cidade, Copa é conhecida como Coração da Zona Sul e é o bairro mais populoso dessa região, com quase 200 mil moradores, sendo que 1/3 deles tem idade igual ou superior aos 60 anos, tendo então a maior concentração de idosos do Brasil em um único bairro.

Localizado entre os bairros de Ipanema, Botafogo, Humaitá, Lagoa e Leme, Copacabana tem uma boa oferta de hotéis, galerias, lojas, bares e restaurantes, além de ser atendido por três estações de metrô (Cardeal Arcoverde, Siqueira Campos e Cantagalo) sendo na minha opinião o melhor bairro do Rio para se hospedar, justamente pela grande oferta e variedade de serviços disponíveis. Inclusive, na minha última viagem para a cidade, fiquei 5 dias hospedado em um hostel do bairro e não me arrependo nenhum pouco da escolha.
Mas Copacabana acaba atraindo milhares de turistas todos os anos justamente por sua icônica praia, palco de inúmeros eventos como a festa de Réveillon, uma das maiores do mundo. Porém o bairro tem muitos atrativos além da praia, como museus, praças, feiras livres e edifícios de arquitetura renomada.

  • Calçadão de Copacabana

Do Leme ao Pontal, o calçadão de Copa é uma tração à parte. Com 4,15 km, foi o primeiro calçamento da cidade feito em pedras portuguesas e foi inspirado na calçada da Praça do Rocio, em Lisboa, e que representa o encontro das águas, sendo inaugurado em 1906 pelo prefeito Pereira Passos.  A partir dos anos 70, foram feitas obras de melhorias, como a alargamento das calçadas, remodulação da Avenida Atlântica e um projeto paisagístico de Burle Marx, que lhe deu o aspecto atual. Super badalados, os novos quiosques criados pelo arquiteto Luiz Eduardo Índio da Costa se tornaram uma atração no bairro. Mais espaçosos que os tradicionais, contam com banheiro subterrâneo, chuveiro, armários e câmeras de segurança.

Eu mesmo não resisti e tirei uma fotinha básica nesse calçadão maravilhoso
  • Arquitetura

Copacabana tem um dos circuitos arquitetônicos mais interessantes e importantes da cidade. São inúmeros os edifícios de diferentes estilos e épocas – que vão do clássico ao moderno – incluindo um precioso acervo art déco. Foi na altura do Posto 2 que começaram a ser erguidos, nos anos 1930, as primeiras construções do bairro, no trecho entre a Avenida Atlântica e a Rua Barata Ribeiro. Era a época de ouro do bairro e essas construções se tornaram simbolo de progresso e elegância, como os edifícios Labourdette (Av Atlântica, 1880), Embaixador (Av Atlântica, 3170), Solano (Av. Nossa Senhora de Copacabana, 166), Roxy (Av. Nossa Senhora de Copacabana, 945), Tuyuti (Rua Ministro Viveiros de Castro, 100) e Ribeiro Moreira (Rua Ronald de Carvalho, 21). Entre os exemplares modernosos, se destacam os edifícios Chopin (Av. Atlântica, 1782) e o  Rangel Ramirez (Rua República do Peru, 72).

Outras construções interessantes são o Barata Ribeiro 200 (Rua Barata Ribeiro, 194), famoso por suas constantes brigas e ocorrencias policiais; e o Edifício Master (Rua Domingos Ferreira, 125), que em cada um dos seus 12 pavimentos mantém 23 apartamentos e que foi objeto de um documentário realizado em 2002 por Eduardo Coutinho.

Edifício Chopin, projetado por Jacques Pilon e vizinho do Copacabana Palace, já foi moradia de embaixadores e ex-presidentes, e hoje é conhecido principalmente pelas festas promovidas por seus atuais moradores, como Narcisa Tamborindeguy.
Hotel Emiliano na Avenida Atlântica: de arquitetura moderna, é famoso principalmente por sua piscina na cobertura.
  • Copacabana Palace

Inaugurado em 1923, o primeiro hotel de Copacabana é ainda hoje o mais tradicional, sofisticado e famoso da cidade, tendo hospedado personalidades como Santos Dumont, Gene Kelly, Orson Welles, Janis Joplin, Madonna, Paul McCartney e a princesa Diana, sendo possivelmente também, o mais famoso hotel do país. Projetado pelo arquiteto francês Joseph Gire e inspirado no hotel Negresco de Nice e Carlton de Cannes, o Copacabana Palace foi construído a pedido do próprio governo com o objetivo de trazer mais desenvolvimento para a região. Com 145 quartos, lojas, restaurantes, salões, bar e serviços gerais no andar térreo, além de uma famosa piscina, o Palace foi tombado pelo IPHAN, como patrimônio histórico nacional, devido a sua importância não apenas para o Rio, mas para todo o Brasil.

Localização: Avenida Atlântica, 1702.

  • Feira da Ronald de Carvalho

Uma de minhas surpresas no bairro foi a tradicional feira que acontece toda quinta feira, há inúmeros anos, na Rua Ronald de Carvalho, próximo à Praça do Lido. Fechada para carros, a rua é coberta de inúmeras barracas que vendem frutas, verduras e legumes no geral, além de flores e algumas opções de lanches, como pastel e hot dog. É aqui nessa feira que comi o morango mais gostoso da minha vida. Foi na banca do simpático Style, que vende frutas hidropônicas, onde comprei 8 morangos por R$25,00 – é caro, mas vai comigo, vale a pena. Essa feira é a mesma que ocorre aos domingos na Praça General Osório, em Ipanema.

morangos hidropônicos

  • Forte de Copacabana

A construção de 1914, erguida onde antes ficava a antiga capela de Nossa Senhora de Copacabana, que deu nome ao bairro, tinha como objetivo reforçar a defesa da Baía de Guanabara. Dentro do forte, é possível encontrar o Museu Histórico do Exército que reconta através de exposições, vídeos e maquetes, fatos marcantes ocorridos no Rio de Janeiro. Do Salão Nobre sai uma extensa varanda com vista panorâmica para toda a praia de Copacabana e o Morro do Pão de Açúcar. No Salão República pode-se conhecer um pouco sobre acontecimentos como a Revolta da Armada, a campanha de Canudos e o Movimento Tenentista. No Café do Forte e na filial da Confeitaria Colombo, ambos de mesmos donos, é possível tomar o café da manhã, almoçar ou tomar o café da tarde em mesas com guarda-sol enquanto se aprecia a belíssima vista de toda a praia.

Localização: Praça Coronel Eugênio Franco, 1 Posto 6.

  • Parques e praças

A Praça do Lido foi aberta em 1919 e acabou sendo conhecida pelo nome de um de seus mais elegantes restaurantes, inaugurado em 1922. Reformada na década de 1960, ganhou um busto em homenagem aos irmãos Henrique e Rodolfo Bernardelli, pintores que viveram na região. É dessa praça que partem as vans com destino ao Corcovado. Localização: entre as ruas Belford Roxo, Ronald de Carvalho e a Avenida Atlântica.

Parque Estadual da Chacrinha, que possuí 30 mil metros quadrados de mata atlântica, que conta com trilhas, playground e espaço para a prática de esportes. Ao andar pelo parque, é possível também encontrar inúmeros macaquinhos em meio a vegetação. Localização: Rua Guimarães Natal, s/n.

O bairro possui outras praças e áreas verdes, como a Praça Sarah Kubitschek, destinada ao convívio e a prática de esportes para a terceira idade. Localização: Avenida Nossa Senhora de Copacabana, próximo ao Morro do Cantagalo.

Praça do Lido
Praça Sarah Kubitschek
  • Igrejas

Copacabana possuí três igrejas católicas de arquitetura interessante. Uma delas é a Igreja de São Paulo Apóstolo (R. Barão de Ipanema, 85), de arquitetura clássica, tem em seu interior um belíssimo conjunto de pinturas sacras. Já as Paróquias de Nossa Senhora de Copacabana (Rua Hilário de Gouveia, 36) e a da Ressurreição  (Rua Francisco Otaviano, 99) tem arquitetura moderna. Essa última,  com projeto de Ibsen Vilaça e inaugurada em 1956, guarda a imagem de Nossa Senhora de Copacabana, retirada da antiga igreja que deu nome ao bairro.

Paróquia da Ressurreição
Igreja de São Paulo Apóstolo
Igreja de São Paulo Apóstolo
  • Cinema Roxy

Marco da cultura cinematográfica na cidade, o Cine Roxy é, ao lado do Cine Jóia, os dois únicos cinemas de rua de Copacabana. Inaugurado em 3 de setembro de 1938, com a exibição do filme Bloqueio, protagonizado por Henry Fonda, o Roxy é um dos mais antigos cinemas de rua do Rio. Reformado inúmeras vezes ao longo das ultimas décadas, atualmente abriga salas da rede Kinoplex e tem capacidade para mais de 900 pessoas.

  • Monumentos

Muitas personalidades brasileiras, principalmente da área cultural, foram imortalizados através de monumentos, como Dorival Caymmi, Ibrahim Sued, Ary Barroso Siqueira Campos, Braguinha e a Princesa Isabel. Mas a mais famosa – e vandalizada – deles é sem dúvidas a estátua de Carlos Drummond de Andrade, instalada no banco onde o mineiro, que residiu parte de sua vida em Copacabana, costumava passar as tarde olhando o mar, na altura da Rua Rainha Elisabete.

Estátua de Ibrahim Sued em frente ao Copacabana Palace
Dorival Caymmi no calçadão de Copacabana, próximo ao Forte
Princesa Isabel na avenida de mesmo nome
A mais concorrida de todas: Carlos Drummond de Andrade
  • Se localize:

 

Dicas para você ter uma viagem tranquila pelo Rio de Janeiro. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *