Viagem pelo Rio de Janeiro: visitando o Forte de Copacabana

Situado no extremo sul da Praia de Copacabana, encontra-se um pedaço da história militar brasileira e uma das atrações mais legais do Rio de Janeiro, o Forte de Copacabana. Construído pouco antes da I Guerra Mundial, o forte está estrategicamente localizado em uma fina faixa de rocha que se estende para o oceano e foi projetado para proteger o Rio de ataques.

Praia de Copacabana com o Forte ao fundo
Interior do forte

Hoje, além de abrigar o Museu Histórico do Exército e dois concorridos cafés, o Forte de Copacabana também oferece uma das mais belas vistas do litoral carioca, sendo possível avistar a Praia do Diabo, o Pão de Açúcar e claro, toda a extensão da Praia de Copacabana.

A linda paisagem a partir do Forte de Copacabana
  • História do Forte

O projeto para construção de uma fortificação em um dos extremos da então Praia de Sacopenapã, onde existia uma pequena capela dedicada a Nossa Senhora de Copacabana, se iniciaram ainda em 1763, a pedido de D. João VI, quando a capital do Brasil foi transferida de Salvador para o Rio de Janeiro.

Porém, as obras só se iniciaram de vez em janeiro de 1908, quando tornou-se inevitável não haver canhões posicionados no litoral para proteger a cidade, e contou com a presença de Afonso Pena, presidente da República na época. Já a Capela de Copacabana, que se encontrava no local, foi demolida – a imagem original da Virgem de Copacabana está na igreja de mesmo nome, localizada no bairro.

Já a sua inauguração se deu em 28 de setembro de 1914, pelo então presidente Hermes da Fonseca, sendo considerado um dos maiores e modernos espaços militares do continente: são 40.000 m² de área construída, sendo 114.169 m² de área total e paredes que chegam a ter 12 metros de espessura. O forte já chegou a abrigar 2.239 operários civis em um mesmo período.

Durante o Regime Militar, o Forte serviu como presídio político e em 4 de maio de 1987, com o fim das Baterias de Artilharia de Costa, se tornou o Museu Histórico do Exército.

  • A minha visita

Sempre que viajo ao Rio de Janeiro e busco um lugar tranquilo e seguro para relaxar, o Forte de Copacabana é o destino escolhido. Na minha última viagem, como estava hospedado ali mesmo em Copa, fui caminhando pela orla da praia até a altura do Posto 6, onde fica a Colônia de Pescadores. Bem ao lado, virando a esquerdo, já é possível avistar a entrada do Forte.

Para ingressar no espaço, paga-se o valor de R$6, pago apenas em dinheiro.

Entrada

Ingresso em mãos, é hora de começar a desbrava-lo. Dentro da área do Forte de Copacabana, é possível visitar:

  • 3º Grupamento Marítimo Copacabana

Anexado ao Forte, o 3º Grupamento Marítimo Copacabana é um órgão de execução pertencente ao Setor de Salvamentos Marítimos do Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro. Apesar de não ser possível visitar o seu interior, há uma interessante coleção de fotografias do Exército Brasileiro na fachada externa.

  • Praça Coronel Eugenio Franco

Porta de entrada do Forte, essa praça presta homenagem a ao militar que foi presidente da comissão responsável pela construção do Forte de Copacabana. Nessa praça há alguns canhões e um monumento em homenagem a Siqueira Campos, inaugurado em 1936 pelo artista H. Bertazoni.

  • Jardim Santa Barbara

Esse pequeno jardim ao lado da entrada principal guarda um oratório de Santa Bárbara, considerada a padroeira de todos os profissionais que lidam com o fogo, assim como a santa protetora contra tempestades.

  • Pórtico de entrada

O belíssimo pórtico foi concluído em 1920 e tem, na parte interna, a inscrição latina “SI VIS PACEM PARA BELLUM”, que singnifica “Se queres a paz, prepara-te para a guerra”.

  • Alameda Octávio Corrêa

A linda alameda que conecta a entrada principal a fortificação é super arborizada e agradável. Ao longo de toda a sua extensão, além da bela vista, estão os principais espaços para visitação do Forte e também há vários canhões e bancos para descanso voltados para o mar.

  • Museu Histórico do Exército

Com um acervo de mais de 15 mil peças, entre armas, indumentárias, documentos e objetos pessoais, o Museu Histórico do Exército é um dos maiores do gênero no Brasil – e um dos mais populares, com mais de 30 mil visitantes por mês.

Fundado no século XIX, com o intuito de preservar e divulgar os valores e a memória histórica do Exército do Brasil, o museu teve várias sedes no Rio de Janeiro, até se instalar dentro do Forte de Copacabana em 1987. Já a sua primeira exposição foi aberta ao público em 1992.

O museu tem uma boa estrutura, com auditório, sanitários e painéis informativos. O prédio tem 3 andares, mas no dia da minha visita, o elevador estava quebrado – se prepare para enfrentar os degraus haha.

Os dois últimos andares são divididos em dois salões: Colônia-Império e República, que fazem parte da exposição permanente “O Exército na Formação da Nacionalidade”.

A Exposição Colônia-Império recria momentos importantes de nossa história no período de 1500 a 1889.

“Terra a Vista!!”, painel entalhado do artista Entalhador Batista

Já a Exposição República foi inaugurada em 1998 para contar um pouco da história do Exército da Proclamação da República até a II Guerra Mundial, em 1944. Essa exposição é dividida em 7 fases: Floriano Peixoto, Consolidação da República, Guerras de Canudos e Contestado, Modernização do Exército, Marechal Rondon, Tenentismo e Participação da FEB na II Guerra Mundial.

  • Confeitaria Colombo 

Unidade da tradicional rede Colombo, esse café tem mesas cobertas em um ambiente clássico, mas as mais concorridas são as que ficam voltadas para o mar, proporcionando uma vista deslumbrante.

Conheça a linda unidade central da Confeitaria Colombo aqui.

O cardápio é praticamente o mesmo das demais unidades, com destaque para o Chá do Forte: cesto com mini brioches, croissant, travesseiro de amêndoas, 1 pão de queijo especial feito com queijo curado, 1 fatia da tradicional torrada Petrópolis,1 xícara de café ou chá ou chocolate ou café com leite, manteiga, mel, geléia, 2 fatias de presunto, 2 fatias de queijo prato, 1 taça de suco de laranja, 1 bolo do dia e 1 inigualável docinho lusitano de coco e queijo – R$57,90.

  • Café 18 do Forte

Tão concorrido quanto o Colombo, o Café 18 do Forte tem um cardápio bem variado, com destaque para os pratos principais, servidos no almoço, e também para o Café do Forte: pães acompanhados de manteiga, ricota, frios, ovos caipiras, crumble de bacon, iogurte, granola, bolinhos de chuva e geléia.

  • Loja de Souvenirs

Ao lado desses dois cafés há uma loja de souvenirs, caso você queira uma lembrança do local – as peças ali vendidas são lindas, mas um pouco caras.

  • Fortificação

Esse é o ponto alto do passeio. A fortificação tem forma de casamata abobadada e paredes com espessura de 12 metros, tamanho suficiente para trazer proteção aos seus residentes. Internamente, o forte conta com uma estrutura completa com refeitório, cozinha, quartos, enfermaria, depósitos diversos (incluindo de água potável) e gerador de energia elétrica – na época, a usina a diesel do Forte também fornecia energia elétrica para o bairro de Copacabana. Impressionante!

A entrada da fortificação se dá por um belo pátio:

Olha eu no Forte

Já dentro do forte, caminhe por seus grandes corredores para conhecer suas instalações, que atualmente abrigam exposições permanentes.

  • Antigo Refeitório:

  • Capela de Nossa Senhora de Copacabana:

  • Antigo alojamento para as Praças do Forte:

  • Paiol de munições do canhão  de 305 mm:

  • Sala de Curativos e Farmácia:

  • Almoxarifado:

  • Usina:

  • Lavatórios:

  • Alojamentos:

  • Sala do Telégrafo:

  • Banheiro dos oficiais:

  • Sala do Comandante:

  • Câmara de Tiro da da 2° bateria:

  • Câmara de Tiro da da 2° bateria:

Uffa, bastante coisa pra visitar na fortificação, hein?! *_*

  • Praça Major Pradel

Essa praça, localizada ao lado da fortificação, presta homenagem ao Major Marcos Pradel de Azambuja, que foi comandante do Forte. Não há muito o que fazer ali, a não ser admirar as vistas ao redor.

  • Cúpula dos Canhões

A cúpula dos canhões fica localizado acima da fortificação e é composta por 4 cúpulas encouraçadas com canhões alemãs da Krupp AG – sendo que todas elas giravam 360° na época em que foram inauguradas.

A cúpula 1 recebeu o nome de Duque de Caxias e é o maior deles, com 305 mm e canhões de 400 kg – seus tubos são chamados de Barroso e Osório;
A cúpula 2 é chamada de André Vidal;
A cúpula 3, localizada ao norte, é chamada de Torre Antônio João;
Já a cúpula 4, localizada ao sul, recebeu o nome de Torre Ricardo Franco.

É um dos espaços mais legais do Forte de Copacabana e transmite uma sensação de paz muito grande.

Pedra do Arpoador vista da Cúpula dos Canhões

Espero que este artigo tenha sido útil e, mais do que isso, tenha despertado seu interesse em visitar esta belezura.

  • Informações Importantes:

Forte de Copacabana
Ingresso: R$ 6,00 – pagamento somente em dinheiro.
Funcionamento: De terça a domingo, das 10h às 19h. Segunda-feira fechado.

Referências bibliográficas:
– https://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_Copacabana
– https://pt.wikipedia.org/wiki/Forte_de_Copacabana_(artilharia)
– http://www.mhexfc.eb.mil.br/pt-br/
– Guia Visual Brasil – Folha de São Paulo.

Se localize:

Endereço: Praça Cel. Eugênio Franco, 1, Posto 6 – Copacabana, Rio de Janeiro – RJ, 22070-020.

 

Outros posts sobre o Rio de Janeiro:

Roteiro de um dia na Ilha de Paquetá, no coração da Baía de Guanabara

O que ver a fazer no bairro da Urca

Veja como é a Trilha do Morro da Urca

Conheça o bairro de Santa Teresa, o morro mais charmoso do Rio

Conhecendo a Lapa e o Centro Histórico com a Rio Free Walking Tour

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *