9 parques que você precisa conhecer em Curitiba

Os inúmeros parques, bosques e jardins espalhados por Curitiba formam um dos principais atrativos do estado. E não é para menos, já que a cidade é uma referencia nacional em preservação, sendo uma das capitais mais verdes do Brasil e por muito tempo também levou o titulo de capital ecológica.
Durante minha estadia de 3 dias em Curitiba, fiz questão de colocar no roteiro alguns dos maiores e mais famosos dessa lista enorme de parques, todos eles gratuitos e de fácil acesso, sendo também conectados pela linha de ônibus turístico da cidade. Vamos conhecer alguns deles?
A incrível vista do mirante do Parque Tanguá: verde atrás de verde no centro urbano de Curitiba
  • Passeio Público

Primeiro parque de Curitiba, o Passeio Público foi inaugurado em 2 de maio de 1886 pelo então presidente da província do Paraná, Afredo D’Estragnolle Taunay, com a intenção de drenar um antigo pântano localizado no centro da cidade. Com inúmeros problemas de verba, o parque teve projeto de João Lazzarini, contando com o apoio financeiro de empresários locais.

Desde então, se tornou um movimentado centro de convívio e palco de importantes eventos da história da cidade, como a instalação da primeira lâmpada elétrica em local público no estado, além de ter sido o primeiro zoológico da capital e sede do Museu Botânico de Curitiba. Foi também em uma das ilhas artificiais do parque que o escritor Emiliano Perneta foi declarado Príncipe dos Poetas Paranaenses.

Com quase 70.000 m2, o Passeio Público de Curitiba é formado atualmente por intensa fauna e flora, lagos e ilhotas, aquário, mini-zoológico e parque infantil. Não deixe de admirar também os belíssimos portões de inspiração francesa construídos nas entradas do parque. 

Localização: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, s/n – Centro.

Aquário
  • Parque das Pedreiras

Essa grande área verde é formada por dois parques: a Ópera de Arame e a Pedreira Paulo Leminski. O primeiro é um enorme teatro circular com capacidade para 1.500 pessoas feito de tubos de aço e estruturas metálicas. Inaugurado em 1992, a Ópera é cercada por um lago artificial e cachoeiras.

Ao lado se localiza a Pedreira Paulo Leminski, inaugurada em 1990. Se constitui em uma grande área para espetáculos ao ar livre cercado por um paredão de pedra de 30 metros e sede do Espaço Cultural Paulo Leminski.  Ali funcionava uma pedreira municipal de usina de asfalto.

Localização: R. João Gava, 970 – Abranches.

Passarela que dá acesso à Opera de Arame

  • Parque Barigui

Mais visitado parque de Curitiba, o Barigui foi inaugurado em 1972 pelo então prefeito Jaime Lerner com o objetivo de barrar as constantes enchentes do rio Barigui. Tem uma área de 1,4 milhões mcom lago, heliponto, espaço para exercícios físicos, bares, restaurantes, trilhas, centro de exposições e extensa mata nativa. Dentro da área do parque se localiza também o Museu do Automóvel de Curitiba e a Secretaria Municipal do Meio Ambiente. Seu nome Barigui tem origem indígena que significa “rio do fruto espinhoso”.

Localização: Entre a Av. Manoel Ribas e a BR-277, acessos: BR-277 e Av. Cândido Hartmann, bairro Bigorrilho.

Parque Barigui visto da Torre Panorâmica
  • Bosque do Papa

O Bosque do Papa João Paulo II foi criado em 1979 em homenagem ao papa João Paulo II, que visitaria o Brasil pela primeira vez no ano seguinte, 1980. Localizado na parte externa do Museu Oscar Niemeyer, o bosque abriga intensa vegetação com mais de 300 araucárias, jardins com inúmeras flores, trilhas,  parque infantil, monumentos, loja de artesanato e o Memorial da Imigração Polonesa. Mas o principal destaque fica por conta do belíssimo conjunto de 7 casas originais que ilustram o modo de vida dos imigrantes poloneses em Curitiba. Em uma delas, funciona uma pequena capela com a imagem de Nossa Senhora de Czestochowa, a padroeira da Polônia.

Localização: Rua Welington, R. Viêira dos Santos, 33 – Centro Cívico.

  • Jardim Botânico

O mais famoso parque de Curitiba é conhecido nacionalmente por sua beleza, seus jardins e seu palácio de cristal, tendo sido eleito em 2007 uma das Sete Maravilhas do Brasil pelo site Mapa-Mundi. Foi inaugurado em 1991 com o nome de Jardim Botânico Francisca Richbieter, em homenagem à urbanista pioneira do planejamento urbano na cidade.

Com lindas alamedas em estilo francês (inspirados em Versalhes), o Jardim Botânico abriga lago, trilhas, parque infantil e o Museu Botânico, projeto do arquiteto Abrão Assad com auditório, biblioteca, área para exposições, centro de pesquisas e um dos maiores herbários do Brasil.

Abriga também três estufas de ferro e vidro com vários exemplares vegetais do Brasil e do mundo. A principal delas é a grande estufa de três abóbadas em estilo Art Nouveau e que foi inspirado no Palácio de Cristal de Londres. Com dois andares, em seu interior é possível encontrar espécies raras de plantas, cascatas e um mirante.

Nos fundos dessa estufa é possível encontrar o Espaço Cultural Frans Krajcberg, que abriga uma exposição permanente com inúmeras obras do artista polonês naturalizado brasileiro Frans Krajcberg. Intitulada “A Revolta”, essa exposição faz uma crítica a destruição das florestas brasileiras provocada pelo homem.

Não deixe de visitar também o Jardim das Sensações, que tem o objetivo de instigar o contato com diferentes espécies de plantas.

Localização: R. Engo. Ostoja Roguski – Jardim Botânico.

 

  • Parque Tanguá

Na minha humilde opinião, esse é sem dúvidas o mais bonito e interessante parque de Curitiba. Foi inaugurado em 23 de novembro de 1996 no lugar onde existiam duas antigas pedreiras desativadas. Conta com ciclovias, trilhas, dois lagos com túnel artificial, cascatas, jardins, lanchonetes, mirantes e extensa vegetação.

Abriga duas áreas: superior, onde se localiza o Jardim Poty Lazzarotto e o mirante; e a parte inferior, onde fica o lago.

Localização: Rua Oswaldo Maciel, 97 – Taboão.

Mirante

 

  • Bosque Zaninelli

Criado em 1992 em uma antiga pedreira, o Bosque abriga um lindo lago cercado por um grande paredão de rocha. Em seu interior funciona a UNILIVRE – Universidade Livre do Meio Ambiente, fundada com o objetivo de abrir um espaço para que a população possa debater e aprender sobre questões ambientais. Essa original construção tem 15 metros de altura e é toda feita em madeira, integrando arquitetura e natureza.

Localização: Rua Victor Benato, 250 – Pilarzinho.

  • Bosque Alemão

Um dos parques mais bonitos da cidade, o Bosque Alemão recebeu esse nome em homenagem aos imigrantes alemães que chegaram à Curitiba a partir de 1833. Inaugurado em 1996 na antiga chácara da família alemã Schaffer, o bosque abriga inúmeras atrações: Oratório de Bach, sala de concertos musicais que recria uma antiga igreja presbiteriana; Torre dos Filósofos, com um lindo mirante que proporciona uma vista geral de todo o parque e de parte da área urbana; Casa Encantada, que abriga uma biblioteca infantil onde constantemente é realizado a Hora do Conto para crianças; Trilha João e Maria, com vários painéis em meio a vegetação e que contam o famoso conto; e o famoso Portal, que reproduz a fachada da Casa Mila.

Localiza-se entre as ruas Franz Schubert, Niccolò Paganini e Francisco Schaffer – Vista Alegre.

Oratório de Bach
Oratório de Bach
Torre dos Filósofos
A linda vista do mirante da Torre dos Filósofos

Portal
  • Parque Tingui

Assim como outros parques da cidade, como o Tanguá e o Barigui, o Parque Tingui foi criado em 1994 afim de preservar a bacia do rio Barigui. Com 380 mil  de área verde, esse é um dos maiores parques da cidade, contando com lagos, pontes cobertas, ciclovia, parque infantil e trilhas.
Seu nome presta homenagem aos índios tinguis que habitavam a região antes da chegada dos portugueses. Inclusive, bem na entrada do parque se encontra uma estátua representando Tindiquera, cacique da tribo tingui e que segundo algumas histórias, teria indicado aos colonizadores portugueses o local onde seria instalada a Vila de Nossa Senhora da Luz dos Pinhais, atual Curitiba.

O parque Tingui também abriga o belíssimo Memorial Ucraniano, conjunto composto por uma réplica da Igreja de São Miguel Arcanjo (a primeira igreja ucraniana do Brasil), casa típica, palco ao ar livre para apresentações e um portal feito em madeira. Construído em 1995, esse memorial celebra o centenário da imigração ucraniana no Brasil e desde então passou a ser um importante espaço para celebrações de famílias descendentes.

Localização: Av. Fredolin Wolf, 1870 – Pilarzinho.

Memorial Ucraniano
Memorial Ucraniano
Cacique Tindiquera

  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *