Visita guiada pelo Teatro Solís em Montevidéu

Mais antiga, famosa e visitada casa de espetáculos de Montevidéu, o Teatro Solís é também um dos marcos históricos e arquitetônicos mais importantes do país, reflexo de um período onde a República Oriental do Uruguai se projetava para o mundo como uma nação rica e desenvolvida. E toda a imponência do Solís pode ser conferida nos belos espetáculos oferecidos pela casa e também nas visitas guiadas realizadas em seu interior.

O luxuoso interior do Teatro Solís
  • A visita:

Como havia lido relatos de esse era uma das atividades mais interessantes para se fazer em Montevidéu, durante a minha estadia na cidade, fiz questão de incluir o Solís em meu roteiro. Logo na entrada, me informei sobre valores e horários, a fim de me organizar. Como era uma quinta-feira, o próximo tour seria realizado as 16h.

Adentrando no teatro, à direita do hall principal, me dirigi as bilheterias. O bilhete me custou 40 pesos uruguaios (2018) para o tour guiado em português. Já o tour em espanhol é um pouco mais barato (coloco a relação de valores no final do post).

Ticket comprado, segui novamente até o hall de entrada para aguardar o início do tour. Pontualmente às 16h, uma simpática guia (infelizmente não lembro seu nome) se apresentou e perguntou para os visitantes de que parte do Brasil nós éramos. Haviam turistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Rio Grande do Sul, entre outros.

A guia, apesar de ser uruguaia, tinha um excelente português, fruto de anos de estudo e de constante atendimento e convivência com turistas brasileiros. O seu sotaque, claro, continuava ali e dava um charme a mais na explicação.

Nossa simpática guia

A visita se iniciou do lado de fora do teatro, onde a guia nos contou sobre a história do teatro. Sua construção começou em 1842, porém, foi interrompida em meados de 1852 devido a Guerra Civil do Uruguai, período de grandes turbulências no país. Alguns anos depois, mais precisamente em 1856, foi feita a inauguração oficial do espaço teatral.

Com requintada arquitetura neoclássica, o Teatro Solís passou por diversas reformas e ampliações ao longo dos anos, mas as características de sua fachada, inspirada no Teatro Carlo Felice de Gênova, na Itália, foram mantidas. Detalhe para o pequeno farol, localizado no topo da fachada, que fica aceso em noites de espetáculo

Já o nome Solís, ao contrário do que a maioria pensa, não é uma referência ao sol (apesar de haver um sol na fachada), mas sim uma homenagem ao espanhol Juan Díaz de Solís, o primeiro navegador a explorar as águas do Rio de la Plata. Nomes como Teatro del Progreso, Teatro de la Empresa e Teatro del Sol também haviam sido levantados para o espaço.

Apesar da bela explicação da guia, o intenso barulho do trânsito ao redor, infelizmente, atrapalhou um pouco o entendimento, já que por sermos um grupo grande, nem todos conseguiram ficar próximos dela.

Dali, seguimos para o hall de entrada, onde pudemos apreciar um pouco da decoração e ornamentação do espaço, com destaque para os lustres. De lá, seguimos para o andar de cima, através da grandiosa escadaria do teatro, feita de mármore Carrara vindo da Itália.

Hall de entrada

Nossa próxima parada foi o grande salão, um espaço utilizado para o público descansar antes e depois dos espetáculos. Cercado por portas de madeira e esculturas e emoldurado por belos lustres, esse salão é também muito utilizado por autoridades uruguaias para recepcionar visitantes ilustres e autoridades de outros países.

Bem ao lado fica o ponto mais esperado da visita, a sala principal do teatro, onde fica a plateia e o grandioso palco. Seguindo as características típicas dos grandes teatros líricos, o Solís é constituído por quatro anéis, sendo três conjuntos de poltronas para a plateia e um palco. Já no centro há também um conjunto de poltronas, que ao todo acomodam 1.250 pessoas sentadas. Com luxuosa decoração, destaco principalmente as pinturas acima do palco e o belo lustre central .

Essa foi a parada mais longa de nossa visita, onde ficamos sentados nas poltronas por cerca de 20 minutos, ouvindo as explicações de nossa guia. Como estava sendo feita a montagem de um cenário para uma apresentação teatral, infelizmente não podemos subir ao palco.

Palco

De lá, seguimos pelo corredor onde ficam os camarins e descemos novamente para o térreo, finalizando assim a nossa visita.

Corredor dos camarins

Lá no térreo, a guia nos perguntou se tínhamos mais dúvidas ou perguntas sobre o Teatro Solís e se despediu do grupo. A visita, apesar de rápida (durou cerca de 1 hora) valeu muito a pena, pois além de ser barato, agrega muita história e cultura e nos faz voltar ao passado.

Além do tour guiado e das apresentações teatrais, há muitas outras coisas para fazer no Solís, como oficinas de teatro e dança, exposições, cursos, conferências. No local há ainda um café e um restaurante, o Rara Avi.

Espaço externo do café
  • Informações importantes:

Teatro Solís

Endereço: Reconquista s/n esqina com Bartolomé Mitre – Ciudad Vieja, Montevideo
Horário da visita guiada: terças e quintas, às 16h; quartas, às 11h, 12h e 16h; sextas e domingos, às 11h, 12h e 16; sábados, às 11h, 12h, 13h e 16h. Não é oferecido as segundas-feiras.
Valor: Tour em espanhol: 20 pesos uruguaios. Tour em português ou inglês: 40 pesos uruguaios. Gratuito às quartas-feiras para o tour em espanhol.

  • Se localize:

 

Conheça a Ciudad Vieja de Montevidéu, o lugar mais charmoso da cidade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *