Roteiro de um dia por Buda, o lado ocidental de Budapeste

Buda, Óbuda e Peste, as três cidades que hoje constituem Budapeste, a capital da Hungria, foram unidas apenas em 1873. Antes disso, elas se desenvolveram relativamente independentes umas das outras, dando-lhes atmosferas distintas. Enquanto Peste e Óbuda são completamente planas, e tem uma atmosfera descontraída, Buda, no oeste, oferece panoramas e grandeza imperial.

Construída entre colinas, às margens do rio Danúbio, Buda é provavelmente a parte mais  famosa e visitada da cidade, justamente por abrigar lugares de grande beleza e riqueza histórica e cultural. Por isso, fiz um roteiro com as principais atrações dessa parte da cidade, que é popularmente conhecida como Distrito do Castelo, para que você não perca nada e curta ao máximo sua visita.

Rua em Buda

  • Breve história:

A fortaleza e o palácio de Buda foram construídos pelo rei Béla IV da Hungria em 1247 e constituíam o núcleo em volta do qual a cidade de Buda foi construída, que logo ganhou grande importância e se tornou em 1361 a capital da Hungria.

Enquanto Peste era principalmente húngaro no século XV, Buda tinha uma maioria alemã. Mas já no final do século, a maioria dos habitantes eram húngaros, fazendo com que Buda tornar-se parte da Hungria central, governada por otomanos, de 1541 a 1686. Foi também a capital da província de Budin durante a era otomana. Em meados do século XVII, Buda havia se tornado majoritariamente muçulmana, resultante de um influxo de muçulmanos vindos dos Bálcãs.

Em 1686, dois anos após o cerco mal sucedido de Buda, iniciou-se uma nova campanha européia para entrar em Buda, antiga capital da Hungria medieval. Desta vez, o exército da Liga Sagrada era duas vezes maior, contendo mais de 74.000 homens, o que resultou em uma reconquista da cidade pelas forças cristãs.

Após a reconquista de Buda, a burguesia de diferentes partes do sul da Alemanha mudou-se para a cidade quase deserta. Mas quando a população rural se mudou para lá, no século 19, lentamente os húngaros se tornaram a maioria novamente. Já em 1873, Buda se une a Óbuda e a Peste para formar a atual capital húngara.

Uma das sacadas do Castelo de Buda
Arquitetura em Buda
Rua em Buda
  • Atrações

Comece seu roteiro atravessando a Ponte das Correntes, assim chamada devido ao reforço de correntes que a estrutura ganhou entre 1913 e 1915 graças ao aumento do fluxo entre sobre a ponte.

Atravessando a ponte, você estará aos pés da colina do Castelo de Buda, o palácio onde viviam os reis húngaros. A partir daí, para qualquer lugar que você vá, haverá lugares lindos para visitar, a começar pela belíssima e super conservada arquitetura:

  • Aprecie as margens do Danúbio

Ande pela Sztehlo Gábor rkp., a rua paralela ao rio Danúbio, afim de apreciar as margens do rio que corta a cidade e as imponentes construções ao redor.

  • Castelo

Simbolo maior de Buda, o Castelo foi concluído pela primeira vez em 1265, mas por causa da história tumultuada do castelo, passou por muitas mudanças que são quase imperceptíveis agora. Hoje, o castelo abriga dois museus, a Galeria Nacional e o Museu de História de Budapeste, além de várias outras instituições culturais. A Galeria Nacional concentra-se na arte húngara de todos os períodos, enquanto o Museu de História refaz a história da cidade desde os tempos romanos até os dias atuais.

Castelo visto do alto da Colina Géllert
  • Funicular

Para subir até o castelo, contorne a colina pelas ruas do distrito ou pegue o histórico Funicular – ele te deixa bem em frente ao portão principal do castelo.

Na década de 1870, Budapeste era uma cidade cosmopolita em pleno desenvolvimento. Quando a primeira ponte permanente, a Chain Bridge, foi construída, era necessário conectar o transporte da ponte ao Palácio Real no topo da colina. Surgia assim o funicular de Buda.

Seu horário de funcionamento é de segunda a domingo, das 7h30 às 22h.

Estação do Funicular ao lado do Castelo
Túnel ao lado do Funicular
  • Deli Rondella

A rondela era a parte mais ao sul do antigo sistema defensivo do Castelo de Buda. FAtualmente fazem parte do complexo, as antigas muralhas medievais e algumas torres de observação, como a bela Torre do Portão, restaurada em 1950.

  • Igreja Calvinista ( Igreja Reformada de Buda)

Essa impressionante igreja às margens do Danúbio foi construída na década de 1890 imitando a recém construída igreja do Coração de Jesus em Józsefváros. Durante a Segunda Guerra Mundial, a igreja foi bastante danificada, sendo reformada posteriormente.

A igreja vista da margem oposta do Danúbio
Monumento em frente à igreja
  • Igreja de São Francisco

Foi construída em meados do século XVIII, em estilo barroco. A rica ornamentação do interior da igreja são obras de artistas franciscanos do século XVIII.

  • Igreja de Santa Ana

A paróquia foi fundada em 1390, mas foi destruída em 1540 pelos turcos durante a Hungria otomana. Foi reconstruída em 1687 pelo arcebispo György Széchenyi e passou por várias reformas ao longo dos séculos.

  • Templo dos Capuchinhos de Budapeste

O complexo do edifício foi severamente danificado em 1944-45, quando uma bomba explodiu em frente ao santuário. Entre outras coisas, os retábulos do século XVIII, os púlpitos neobarrocos, os vitrais e grande parte da pintura de parede foram destruídos. O interior do templo foi restaurado após a guerra e novas imagens foram adicionadas às estruturas do altar. Já seu exterior foi reformado em 1968-69. Atualmente, a paróquia é ocupada pela Ordem dos Capuchinhos.

  • Bastião dos Pescadores

O Bastião dos Pescadores é um terraço neogótico e neo-romântico que leva o nome dos pescadores que defenderam essa parte da cidade na Idade Média. Mais interessante para os visitantes, o terraço em si e suas sete torres oferecem um panorama incrível do Danúbio, da Ilha Margaret e de Peste. Há uma taxa para acessar os níveis superiores, mas como é uma área bem pequena e as vistas do resto são igualmente bonitas, não vale a pena pagá-lo.

  • Igreja de Matias

Bem em frente ao Bastião está a gótica Igreja de Matias, onde em 1867, Franz Joseph I da Hungria foi coroado, marcando assim, o início do Império Austro-Húngaro. No interior, há uma galeria subterrânea contendo relíquias, esculturas medievais em pedra e réplicas da coroa húngara e jóias da coroação.

  • Igreja Luterana e Igreja de Buda

A Igreja de Budavár é a mais antiga igreja Luterana de Buda. Foi construído em 1895, a partir de um projeto de Mór Kallina, e foi consagrado em 1895 por Sámuel Sárkány, bispo da diocese luterana de Bánya. Tem um estilo neobarroco eclético com uma fachada neobarroca.

  • Arquivo Nacional da Hungria

Foram fundados em 1756 em Bratislava e transferido para Budapeste após a formação do atual estado húngaro. Já o belíssimo edifício foi construído em 1923.

  • Portão de Viena

Esse é um dos portões que dão acesso ao distrito. Como o nome sugere, era a partir desse portão que se iniciava a estrada até Viena.

  • Arquivos Históricos Militares

Fundado alguns dias após a Hungria declarar sua independência, o Arquivo Militar, estabelecido em novembro de 1918, é responsável por coletar, processar e publicar qualquer documento escrito relacionado à história militar húngara.

  • Igreja de Santa Maria Madalena

Construída entre os séculos XIII e XV em estilo gótico. Hoje apenas as ruínas e a torre da igreja permanecem, sendo possível visitar o mirante do alto da torre.

  • Tóth Árpád stny.

Agradável rua paralela às muralhas do antigo distrito e que proporcionam belas vistas dos bairros ao redor.

  • Bazar do Jardim do Castelo

Apesar do nome, esse lugar não é e nunca foi um bazar ou centro de compras. O jardim e seus edifícios foram construídos no final do século XIX (1875 – 1883), com base nos planos de um dos principais arquitetos da Hungria, Miklos Ybl. Entre a Segunda Guerra Mundial e a década de 1980, o Bazar do Jardim do Castelo de Buda foi transformado em um centro de jovens chamado Parque da Juventude, para oferecer um local de entretenimento controlado e decente para os jovens da Hungria, que deveriam ser criados com valores comunistas (mas os jovens decidiram o contrário, especialmente em 1968, no ano da primavera de Praga). Até 1984, o  local funcionou como uma discoteca ao ar livre e local de concertos, uma marca registrada da era comunista.

Hoje é um espaço para exposições, concertos, shows de dança, visitas guiadas, exibições de filmes em seu cinema, além de contar com um lindo jardim de flores e parque.

O bazar visto do Castelo

  • Réplicas Patrióticas

Essas grandes esculturas patrióticas são réplicas de antigos memoriais da Primeira Guerra Mundial e ocupam a calçada em frente ao Castle Garden South Palace.

  • Igreja de Santa Catarina de Alexandria

Construída como mesquita em 1566 pelo Paxá de Buda Jakob Szokollu Mustafa, em 1686 foi tomada pelos fiéis católicos e transformada em capela. Em 1697, os franciscanos construíram uma escola ao lado. Em 1702, uma paróquia foi estabelecida e um cemitério foi construído ao redor da capela.

Torre da Igreja à direita, com o Castelo ao fundo
  • Ponte Elizabeth

Essa é a terceira mais nova ponte de Budapeste e está situada na parte mais estreita do Danúbio, abrangendo apenas 290 m. Recebeu esse nome após Elisabeth da Baviera, uma popular rainha e imperatriz da Áustria-Hungria, que foi assassinada em 1898. Hoje, sua grande estátua de bronze fica perto da conexão lateral da ponte de Buda no meio de um pequeno jardim.

  • Tabán

Escondidas entre Gellert Hill e Castle Hill, ficam as ruas residenciais e os belos parques de Taban, um distrito anteriormente boêmio que, infelizmente, foi demolido nos anos 1930. Hoje, é muito menos vibrante e emocionante, mas as ruas movimentadas deram lugar a grandes parques deliciosos, onde visitantes e moradores locais podem passear ou relaxar. Ainda está cheio de bares e restaurantes, então há um pouco de tudo no Taban, mesmo que não seja tão moderno quanto o sétimo distrito de Peste.

  • Colina Gellért

A colina Gellért, imponente sobre o Danúbio, a 235 metros, é uma das duas famosas colinas de Buda. Como posição defensiva estratégica, desempenhou um papel importante na história de Budapeste, mas agora é uma área residencial sossegada e rica e faz parte do Patrimônio Mundial ‘Bancos do Danúbio’ desde 1997. O principal atrativo para os visitantes é a vista panorâmica. vista do Danúbio e de toda a cidade. Existem dois caminhos: suba as escadas pela ponte Elizabeth ou o caminho mais longo, porém mais fácil, perto dos banhos de Gellért.

  • Quantos dias são necessários?

Como vocês viram, apesar de não ser tão extenso, há muitas coisas para ver e fazer, pois isso, reserve ao menos um dia inteiro para Buda (foi o que eu fiz). Mas se for ficar de 4 a 5 dias em Budapeste, reserve dois para Buda. Assim, você poderá visitar as atrações com calma e se impressionar ainda mais com uma das mais elas capitais europeias.

  • Se localize:

 

Conheça 10 atrações imperdíveis de Budapeste aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *