5 dias em Santiago: dicas, fotos e roteiro de atrações

Ahhh Santiago 😀. Sabe aquela cidade que parece perfeita pra você? É cosmopolita, movimentada, tem uma história rica e vibrante, é cheia de atrações naturais e culturais e tem moradores simpáticos e solícitos. Bem, essas foram as impressões que tive nos 5 dias que fiquei na cidade. Claro que o olhar de turista é sempre diferenciado, mas Santiago, sem dúvidas, está na lista das cidades mais fascinantes que já conheci.

Ao todo, passei 9 dias no Chile, sendo 5 deles em Santiago. Dentro desses 5 dias, reservei um para fazer bate volta em Valparaíso e Viña del Mar. Como sou apaixonado por história e arquitetura, dei preferência no meu roteiro a lugares históricos, como igrejas e museus (reservei um dia todo só para conhecer o Centro Histórico da cidade). Mas também visitei vários parques, mirantes

Para saber mais sobre minha viagem pelo Chile, clique aqui.

Vista do Cerro Santa Lucia

Santiago foi fundada por Pedro de Valdívia em 12 de fevereiro de 1541 com o nome de Santiago de Nueva Extremadura. Desde então, a cidade foi crescendo e se urbanizando até se tornar o maior centro financeiro, cultural e administrativo do Chile. Tem mais de 6 milhões de habitantes, sendo a 7° cidade latina mais populosa e uma das três capitais com mais qualidade de vida da América Latina, juntamente com Buenos Aires e Montevidéu.

Plaza de Armas
Olha eu no Cerro San Cristóbal
  • Como se locomover na cidade

Santiago tem uma boa rede de transporte público e que atende todas as regiões da cidade. O sistema de metrô é um dos maiores e mais modernos da América Latina: são 118 estações (limpas e bem sinalizadas), 6 linhas (1, 2, 4, 4A, 5 e 6) e cerca de 120 quilômetros de extensão. Para turistas é a melhor opção de transporte.
Obs: É preciso comprar um cartão chamado BIP! para circular pelo metrô.

A cidade também conta com uma grande malha de ônibus e táxis, além de transporte ferroviário. As principais avenidas e rodoviais são asfaltadas e bem sinalizadas, mas apesar de serem linhas expressas, tem transito intenso e os congestionamentos são constantes.

Para circular pela região central, evite ir de carro – o melhor é circular a pé, afim de evitar o stress do transito, sem falar que achar uma vaga disponível é tarefa difícil.

Estação Republica do metrô
Ônibus municipal circulando pela Alameda Bernardo O’Higgins

Roteiro:

Dia 1 – Chegando em Santiago

Cheguei em Santiago por volta das 12.30 hrs vindo de um voo de São Paulo com escala de 8 hrs no Aeroporto do Galeão no Rio. O trajeto entre o Rio e Santiago durou 5 hrs e apenas a linda vista da Cordilheira dos Andes com seus picos nevados em pleno verão já impressionam (Imagina no inverno!). No moderno Aeroporto Internacional Comodoro Arturo Merino Benítez peguei um tranfer até meu hostel (não lembro o valor, mas foi bem baratinho). Check-in feito e banho tomado, foi hora de bater perna pela cidade. O roteiro da tarde foi o seguinte:

Costanera Center: popular shopping situado no bairro de Providencia e um dos mais luxuosos da cidade. Em seus 5 andares é possível encontrar lojas para os mais variados bolsos e estilos. E o melhor: o Wi-fi é liberado em todos os andares. É no subsolo do shopping que existe uma das poucas casas de câmbio que funciona aos domingos (apesar da cotação ruim)e que por sinal estava cheia de brasileiros.

Para chegar nele, peguei o metrô e desci na estação Los Leones, localizada há duas quadras do shopping.

Anexado ao shopping fica a Gran Torre Santiago, o edifício mais alto da América Latina – 64 andares e 300 metros de altura. No alto da torre empresarial fica o Sky Costanera, famoso mirante que oferece uma vista 360 graus de Santiago. O valor para subir é de 8 mil pesos durante a semana e 10 mil pesos aos finais de semana – é um preço salgado para um mochileiro, mas a vista que o mirante oferece da cidade é de encher os olhos. Fiquei arrepiado.

Região de Providencia vista do Sky Costanera

Aproveitei também para conhecer a Igreja Militar, que fica ao lado do shopping.

Igreja Militar
  • Dia 2: Cajon del Maipo, Embalse el Yeso e Palácio de la Moneda

Esse dia começou agitado. Havia lido em algum lugar que o transfer que me levaria à Cajon del Maipo iria passar no hostel por volta das 9 hr. Até ai tudo bem. Porém, me confundi nos horários e na verdade ele iria passar às 6 hr! Ou seja, fui acordado pelo recepcionista do hostel, me arrumei correndo e em menos de 15 minutos estava na van que me levou para a região de Cajon del Maipo, onde fizemos várias paradas ao longo do trajeto até chegar ao principal destino do dia: Embalse el Yeso.

Antes, a van deu uma paradinha de 10 minutos para conhecermos o histórico Estádio Nacional, onde o Brasil ganhou a Copa do Mundo de 1962. 

Estádio Nacional

Ao longo do trajeto, paramos no Rio Mapocho e em vários mirantes em meio a Cordilheira dos Andes que oferecem vistas dignas de cartões postais. Depois de quase 3 horas finalmente chegamos em Embalse El Yeso, um dos lugares mais lindos que vi na vida! ::otemo:::D. O lugar nada mais é que uma represa formada pelo degelo dos Andes no verão, mas o grandioso lago de águas azuis emoldurado pelos picos ainda nevados formam uma paisagem incrível. Vale muito a pena!!!.

Apesar de ter ido no verão e a temperatura em Santiago estar na faixa dos 30 graus, não se engane, pois as temperaturas em Cajon del Maipo são sempre baixas. Como perdi hora, na correria acabei esquecendo de levar alguma blusa de frio grossa e adivinha? Quase congelei!!!

Rio Mapocho
Embalse

Existem várias agências que fazem esse passeio. Fui com a Sousas Tour, especializada em brasileiros no Chile e não me arrependo, já que os guias são super legais e atenciosos, a van que nos leva pelas montanhas é bem confortável, o lanche servido é muito bom e o preço não é muito diferente do cobrado por outras agências (53 mil pesos por pessoa, mas recebi desconto por fechar dois passeios).

Embalse el Yeso
Cordilheira dos Andes em Cajon del Maipo

Voltando do passeio que dura aproximadamente 9 horas, fui deixado novamente no hostel. Dei uma descansada e fui para o Centro visitar a região do Palácio de la Moneda. Eis o roteiro:

Igreja de la Glatitud Nacional, na avenida Ricardo Cumming.

Avenida Bernardo O’Higgins: principal avenida de Santiago, é repleta de construções históricas, igrejas, jardins e monumentos.

Igreja San Ignacio, na rua Padre Alonso de Ovalle.

Paseo Bulnes: Um dos lugares mais agradáveis da cidade, é um grandioso boulevard que se inicia em frente ao Palácio de la Moneda com vários jardins, cafés e restaurantes ::otemo::.

Paseo Bulnes

Cripta O’Higgins: local onde está os restos mortais do libertador Bernardo O’Higgins. Fica na Plaza Bulnes, em frente ao La Moneda.

Palácio de la Moneda: Residência oficial da presidente do Chile, era a antiga casa da moeda do país, daí seu nome :P.

Palácio de la Moneda

Centro Cultural La Moneda: Fica localizado no subsolo do palácio. É uma grande área reservada para exposições temporárias (estava tendo uma exposição com obras do Picasso ::otemo:: ) e e uma exposição permanente que é gratuita.

  • Dia 3: Centro Histórico

Igreja Santa Helena, na Calle Huérfanos

Igreja do Sangue Precioso, na Calle Compañía de Jesus

Plaza Brasil: arborizada praça paralela a Avenida Brasil.

Basílica El Salvador

Plaza de la Constitución e Troca de Guarda – consegui pegar o finalzinho da famosa troca de guarda que é feita em frente ao Palácio de La Moneda.

Paseo Ahumada – rua transformada em calçadão com inúmeras lojas populares, cafés, restaurantes e artistas de rua – é um dos lugares mais agradáveis no centro de Santiago.

Igreja San Agústin

Teatro Municipal

Teatro Municipal

Plaza de Armas: marco zero da cidade, é ao redor dessa grandiosa e movimentada praça que estão importantes e belíssimos prédios históricos que ajudam a contar a histórica de Santiago, como a Catedral e o Museu Histórico. É aqui que se encontra o Monumento ao Indígena.

Plaza de Armas
Plaza de Armas
Monumento ao Indígena

Catedral Metropolitana

Catedral Metropolitana

Palácio dos Correios

Palácio dos Correios

Museu Histórico Nacional

Congresso Nacional

Palácio da Justiça

Museu de Arte Pré-Colombiana

Mercado Central de Santiago

Plaza Part

Academia e Museu Nacional de Bellas Artes

Fachada da Academia de Bellas Artes
Museu Nacional de Bellas Artes

Parque Florestal: agradável e arborizado parque na região norte do centro histórico.

Plaza Italia

Plaza Baquedano

Museu Violeta Parra

Igreja San Francisco de Borja, na calle Carabineros de Chile

Centro Cultural Gabriela Mistral

PUC Chile – campus central de uma das melhores universidades da América Latina.

Cerro Santa Lúcia – um dos lugares que mais gostei em Santiago. É um grande morro em meio a cidade e repleto de jardins, fontes, monumentos e claro, inúmeros mirantes – o mais famoso e alto é a torre do Castelo Hidalgo.

Biblioteca Nacional

Paris – Londres: conjunto de duas ruas com construções históricas que lembram a arquitetura européia do século XIX.

Rua Paris

Igreja San Francisco, a mais antiga da cidade. Conta com um museu de arte colonial.

Uffa, perceberam que eu gosto de visitar igrejas né ?! hahah. Esse foi o dia que mais andei e fiz tudo a pé, sem utilizar algum meio de transporte – emagreci umas gramas ai ::otemo:: . Com exceção do Museu Pré-Colombiano, todas essas atrações são gratuitas.

  • Dia 4: Concha Y Toro e San Cristóbal

Vinícola Concha Y Toro: logo pela manhã realizei esse tour com a agência Sousas Tour (a mesma que fiz o passeio pelo Embalse), onde visitei as instalações da vinícola mais famosa do país. Fica nos arredores de Santiago (saiba tudo sobre o passeio clicando aqui).

Páteo Bella Vista: Na volta da vinícola, pedi para o motorista me deixar próximo ao Bella Vista, um grande centro comercial com as mais diversas lojas e restaurantes (caros por sinal) e foi aqui que tivemos uma cena inusitada. No McDonald’s, fui pedir um sorvete Mc flurry Ritter, porém na hora de usar o portunhol, o Danilo pediu um sorvete sabor Hitler::lol4::::putz:: ( que isso não volte a acontecer!).

Cemitério Geral de Santiago – andei bastante até chegar ao principal cemitério da cidade, onde estão enterradas algumas das personalidades mais famosas do Chile. O cemitério é enorme, tem um urbanismo bem diferente e sem dúvidas vai agradar aos amantes de arte tumular, como eu haha. É necessário ter uma permissão para fotografar dentro do cemitério – pode ser tirado na hora, na secretária.

Cemitério Geral de Santiago
Pórtico de entrada do Cemitério Geral

Cerro San Cristóbal e Funicular – uma das atrações mais famosas de Santiago, o Cerro San Cristóbal é um grandioso morro pertencente ao Parque Metropolitano, o terceiro maior parque urbano do mundo! Para subir até o mirante, a opção mais utilizada é o Funicular (paga-se 2 mil pesos por pessoa) e em poucos minutos chega-se no alto do cerro, onde existem várias lanchonetes, lojas, capelas, uma igreja, além de proporcionar uma linda vista de toda a cidade – na minha opinião, só perde para a vista do Sky Costanera.

O ponto mais alto do parque é o Santuário de la Concepción, com uma grandiosa imagem da padroeira da cidade. Para chegar lá é necessário subir um conjunto de escadas.

Funicular

Vista do Cerro San Cristóbal
  • Dia 5 – Valparaíso e Viña del Mar

Reservei o dia apenas para conhecer as cidades litorâneas de Valparaíso e Viña del Mar, localizadas a menos de 2 horas da capital e de fácil acesso tanto de carro quanto de ônibus. Com belezas naturais e culturais, essas cidades tem que ser colocadas em seu roteiro por Santiago (vou reservar um post apenas para essas duas cidades).

Valparaíso
Viña del Mar
  • Dia 6 – Despedida da cidade

Esse foi um dia relax. Aproveitei para trocar mais dinheiro e comprar algumas coisas no supermercado Jumbo do Costanera Center (super recomendo, vende basicamente de tudo e por preços interessantes) e claro, aproveitei para descansar um pouco e repor as energias já que no final da tarde teria uma longa viagem de 24 horas em um ônibus até chegar à San Pedro de Atacama, o próximo destino dessa fantástica viagem pelo Chile ::otemo::.

Vista do Cerro San Cristobal
Foto básica em Cajon del Maipo
Região de Providencia vista do Sky Costanera
Vista do Cerro Sán Cristóbal

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *