Visita guiada pelo Palácio Salvo, o mais emblemático edifício de Montevidéu

Cartão postal de Montevidéu há mais de oito décadas e um dos maiores símbolos arquitetônicos do Uruguai, o Palácio Salvo se destaca no horizonte por sua beleza e imponência, fazendo parte do crescimento urbano da cidade no último século.

O significado do palácio é tão grande que foi eleito patrimônio nacional do país e desde 2014 passou a ser realizado visitas guiadas na parte interna, uma forma de divulgar sua história, ajudar na sua conservação e consequentemente recuperar parte do esplendor perdido nas últimas décadas graças a inúmeros problemas financeiros e de administração. A visita dura entre 50 e 60 minutos e custa 200 pesos uruguaios. Para quem tiver interesse, no térreo do edifício também funciona o Museu do Tango e o ingresso conjunto para as duas atrações (palácio + museu) sai por 300 pesos.

Monumento à Artigas e o Palácio Salvo ao fundo

Eu fiz a visita no primeiro horário de natal, 25 de dezembro, às 11.30h e haviam mais duas pessoas além de mim. Nossa guia foi a simpática Fernanda, que apesar de fazer a explicação em espanhol, falava mais devagar justamente para conseguirmos entender (espanhol não é o meu forte).

Depois de se apresentar, ela nos leva para a parte externa para mostrar detalhes da fachada e contar a história do prédio.

Eu, a guia Fernando e a minha amiga de viagem, Dani.

O Palácio Salvo foi construído entre 1923 e 1928 a pedido dos irmãos Angel, José y Lorenzo Salvo, uma família de comerciantes italianos que enriqueceram em Montevidéu e decidiram construir e dar o edifício como presente para a cidade, como uma forma de agradecimento. Todo o projeto e construção foi obra do arquiteto italiano Mario Palanti. Na mesma época, o arquiteto também construiu um edifício muito semelhante em Buenos Aires, o Palácio Barolo, considerado o irmão gêmeo do Palácio Salvo.

Com 105 metros e 27 pisos, o Salvo foi a construção mais alta da América do Sul até 1935, sendo atualmente o segundo mais alto de Montevidéu, atras apenas da Torre de Telecomunicações, popularmente conhecida como Torre Antel. Tem estilo arquitetônico eclético, com influências do neogótico e o neo-renascimento.

Depois, entramos no saguão principal, pegamos o pequeno elevador e subimos até o 25° andar, onde se tem uma fantástica vista da Plaza Independencia e da Ciudad Vieja – aproveitei para tirar muitas fotos. Ali nos é contado um pouco sobre a região onde o prédio foi construído.  Inclusive ali naquele mesmo terreno funcionava o La Giralda, bar onde foi tocado pela primeira vez La Cumparsita, um dos tangos mais famosos do mundo.

Mirante
A incrível vista do mirante: Plaza Independencia
Região portuária
A incrível vista do mirante

Em seguida descemos até o 10° andar, andar escolhido justamente por apresentar algumas peculiaridades em relação com os demais andares, como o uso de materiais mais baratos em pisos e portas. Ali nos é contado que há inúmeras referencias místicas e maçônicas na decoração interna. É possível perceber também a constante presença do símbolo do edifício em pisos e escadarias, o PS de Palácio Salvo.

10° andar
10° andar
10° andar

Também nos é contado sobre seu uso. De propriedade particular, o Palácio Salvo atualmente é um prédio residencial, com áreas comerciais apenas no piso térreo. Os demais andares são divididos em apartamentos com os mais diversos tamanhos e formatos. Isso porque o palácio foi primeiramente concebido para ser um hotel de luxo mas apenas oito anos depois de sua inauguração, o hotel foi fechado e a parte interna foi adaptada para receber apartamentos residencias.

Corredor de apartamentos

Ainda nesse andar fomos levados para conhecer um dos apartamentos. Amplo e bem equipado, o apartamento funciona como uma loja/museu e fomos muito bem recebidos por seu proprietário uruguaio mas com um português excelente (infelizmente não lembro seu nome). Se precisar, aproveite essa parada para ir ao banheiro e tomar um cafezinho.

Apenas os apartamentos do 10° andar tem essas janelas redondas
Interior do apartamento
Interior do apartamento

Nesse andar também é possível ver o vão comum do prédio, bem diferente da fachada e que nos passa uma sensação de decadência entre o esplendor de seus primeiros anos e a atualidade.

Vão central

Em seguida descemos para o primeiro piso, onde funciona o clube Casa de Bilhar e nos é contado algumas lendas que cercam o palácio, como a fama de ser assombrado. Uma delas é a que o espírito de José Salvo ronda o prédio, isso porque poucos anos depois de sua inauguração, José foi assassinado pelo seu genro, motivado pela ganância.

1° piso. Á direita, o clube de bilhar
Corredor no 1° piso que leva até à escadaria

Somos depois levados para a grande escadaria do palácio, onde tivemos algumas explicações sobre os vitrais e os materiais usados na decoração,. Em seguida descemos para uma área chamada piso-médio, onde funciona a Rádio Nacional e onde ocorrem constantes exposições de arte.

Grande escadaria
Grande escadaria
Área para exposições
Detalhes no teto

Descemos mais um andar até chegar ao piso térreo, onde se encerra o tour.

Apesar de rápida, a visita é muito proveitosa e o interior do edifício é muito interessante e cheio de história. Isso sem falar no maravilhoso mirante. Então, se tiver um tempinho sobrando em Montevidéu, não deixe de visitar o Palácio Salvo.

  • Informações práticas

Nome: Palácio Salvo
Endereço: Avenida 18 de Julio esquina com Plaza Independencia, Centro – Montevidéu, Uruguai.
E-mail:  mananasenelsalvo@gmail.com
Horários: De segunda à sábado em três horários (necessário consultar antes).
Valores: 200 pesos uruguaios – 300 pesos visita guiada Palácio Salvo + Museu do Tango.
Duração: 60 minutos.

Uma resposta a “Visita guiada pelo Palácio Salvo, o mais emblemático edifício de Montevidéu”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *