Ponte Carlos, o monumento mais famoso de Praga

Ponte Carlos, Charles Bridge ou ainda Karlův most (em checo), seja lá como você a chamá-la, essa ponte está no topo da lista de atrações imperdíveis de Praga. E não é para menos. A ponte gótica de pedra de mais de 700 anos tem inúmeras estátuas, torres e uma história que se remete ao desenvolvimento da cidade, o que faz dela uma das mais bonitas, famosas, e visitadas do mundo. Ligação entre Cidade Velha e a Cidade Pequena (Malá Strana) sobre o Rio Moldava (Vltava), a ponte também é popular entre artistas, músicos e vendedores de lembranças tchecos, cujos estandes alinham os dois lados da ponte o ano todo e trazem mais charme ao lugar.

  • História:

Sua construção foi encomendada pelo rei tcheco e pelo Sacro Imperador Romano Carlos IV e começou em 1357, quando ainda era chamada de Ponte de Pedra (Kamenný most). O responsável pela construção foi o arquiteto Petr Parléř, cujas outras obras incluem a Catedral de São Vito, no Castelo de Praga. Dizem que gemas de ovos foram misturadas na argamassa para fortalecer a construção da ponte. Verdade ou não, a Ponte Carlos é um dos muitos monumentos que foram construídos durante o reinado de Carlos, mas não é a primeira ponte que já conectou as margens de Praga sobre o Moldava. Outra ponte ficava em seu lugar, a Judith Bridge, que foi a primeira ponte de pedra sobre o rio. Construída em 1172, ela entrou em colapso durante uma inundação em 1342. Mas ao contrário de sua antecessora, a Charles Bridge sobreviveu a muitas inundações, mais recentemente em agosto de 2002, quando o país sofreu a pior enchente nos últimos 500 anos. Portanto, as gemas não devem ter sido uma má ideia.

Cadeados do Amor em uma das grades laterais da ponte
Um dos acessos à ponte em Malá Strana
  • Torres da Ponte Carlos

Há uma torre em cada extremidade da ponte. Tanto a Staroměstská věž no lado da Cidade Velha quanto a Malostranská věž no lado do Malá Strana podem ser escaladas para uma vista de Praga e da ponte de cima.

Staroměstská věž
Malostranská věž
  • Estátuas barrocas

As famosas estátuas barrocas começaram a ser colocadas ao longo de ambos os lados da Ponte Carlos no século XVII. Devido a problemas de conservação, muitas dessas estátuas são cópias e as originais podem ser vistos no Lapidarium, uma das seções do Museu Nacional.

Entre as 30 estátuas da ponte, a mais antiga e popular é São João de Nepomuk, um santo mártir tcheco que foi executado durante o reinado de Wenceslau IV ao ser jogado da ponte. Acredita-se que tocar nas placas da base da estátua traz boa sorte e garante seu retorno a Praga –  verdade ou não, os turistas fazem filas para tocá-las.

São João de Nepomuk

Já a escultura mais espaçosa e cara da ponte são as estátuas de Saint John de Matha, Félix de Valois e São Ivan. Foi projetada em 1714 por Ferdinand Brokoff e patrocinada por František Josef Thun, o senhor de Klášterec nad Ohří. A escultura destinava-se a homenagear os dois fundadores dos trinitarianos, a ordem que supervisionava a compra e o resgate dos cristãos em cativeiro sob os turcos. São Ivan, o santo padroeiro dos eslavos, foi adicionado à escultura por razões desconhecidas. A base mostra uma cela na qual três cristãos acorrentados estão orando ao Senhor pela salvação.

Saint John de Matha, Félix de Valois e São Ivan

Uma das obras de arte mais valiosas da ponte, a estátua de St. Luthgard foi esculpida por Matthias Braun em 1710 como uma comissão de Evžen Tyttl, o abade do mosteiro cisterciense em Plasy.

O Crucifixo é uma das esculturas historicamente mais ricas da ponte, instalado neste local logo após 1361 e provavelmente destruído pelos hussitas em 1419. Um novo crucifixo com corpo de madeira foi erguido em 1629, mas foi severamente danificado pelos suecos no final da Guerra dos Trinta Anos. Em 1666, duas figuras principais foram adicionadas, mas estas foram substituídas em 1861 pelas atuais estátuas de arenito de Emanuel Max, retratando a Virgem Maria e João Evangelista .

O texto hebraico dourado no crucifixo foi adicionado em 1696 e é um excelente exemplo do anti-semitismo europeu medieval. Nesse ano, as autoridades de Praga acusaram um líder judeu local, Elias Backoffen, de blasfêmia. Como punição, recebeu ordem de arrecadar fundos para a compra de letras hebraicas banhadas a ouro, colocadas em torno da cabeça da estátua, soletrando “Santo, Santo, Santo, o Senhor dos Exércitos”. A inscrição era uma humilhação e degradação simbólica dos judeus de Praga.

Outras estátuas interessantes na ponte: 

Estátuas de Madonna, São Domingos e Tomás de Aquino
Estátuas de Santos Cirilo e Metódio

Estátuas de Santos Norbert, Wenceslaus e Sigismund
Estátua de Ivo de Kermartin
Estátua de São Cirilo e São Metódio
Estátuas de Santos Cosmos e Damião
  • Dicas para visitar a ponte:

A ponte agora é uma zona de pedestres (embora o tráfego de bonde e carros tenha sido permitido lá no passado) e sendo uma das principais atrações da cidade, o monumento pode ficar superlotado durante certos horários, podendo deixar sua visita menos glamourosa.

Por isso, tente visitar a Ponte Carlos logo pelo início da manhã. Com os comerciantes chegando ao local por volta das 9h às 9h30, a ponte permanece tranquila até às 10h. Depois fica cada vez mais lotada, com o horário de pico variando do meio dia às 15h.

Prefira também deixar a visita em um dia da semana, pois é sempre mais calmo, comparado aos fins de semana.

A melhor época para visitar Praga é durante os festivais (como o Festival da Cerveja) fora dos períodos de pico (julho, agosto, fins de semana prolongados em maio), quando o dia é mais longo e o clima é quente para os passeios de catamarã pelo Moldava. Isso faz de maio, junho e setembro a melhor escolha.

  • Como chegar:

Transporte público mais próximo: estação de trem Malostranské náměstí (bonde 12, 20, 22) Estação de metrô Karlovy lázně (bonde 17, 18) Estação de metrô Staroměstská (linha A).

  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *