Conheça a Copacabana boliviana, a mais bela cidade do Lago Titicaca

Quando você ouvir o nome Copacabana, certamente sua mente o transportará para a imagem da famosa praia do Rio de Janeiro. Mas há outra Copacabana no mundo e bem pertinho de nós. Também com praia e sol, embora com águas mais frias: é a cidade de Copacabana, na província de Manco Kapac, na Bolívia.

Localizada a 150 quilômetros de La Paz e às margens do Lago Titicaca, o lago navegável mais alto do mundo, Copacabana tem clima mochileiro, místico e alternativo, com uma história riquíssima e cheia de lendas – acredita-se que a Civilização Inca surgiu nessa região.

Ponto de parada obrigatório para quem vai da Bolívia para Cusco de ônibus, Copacabana é pequena e aconchegante – são pouco mais de 3.000 habitantes. Mas não se engane, apesar do tamanho, há muitas coisas para ver e fazer aqui.

  • História:

Copacabana é a maneira castelhana de dizer Kotakahuana. Kota quer dizer “clara, serena e alegre” e kahuana significa “lugar confortável que oferece uma bela vista”. Este era o nome de um local de culto inca nas margens do lago Titicaca e que mais tarde foi transformado em um local de culto cristão.

Segundo a lenda mais famosa da região, um dia, o Deus Inti (o sol) estava observando a terra e seus habitantes e não estava muito feliz com o que viu. Homens e mulheres viviam em um estado de selvageria total e não conheciam ou possuíam qualquer tipo de conhecimento que os ajudasse a prosperar e viver entre eles.

Então o Deus Inti começou a trabalhar e decidiu ter dois filhos para ensinar aos habitantes da região o conhecimento necessário para criar uma civilização. E assim ele criou Manco Capac e Mama Ocllo em uma ilha do lago Titicaca. Seu pai, o Sol, disse que eles podiam ir aonde quisessem, mas, em troca, Manco e Mama tiveram que afundar uma vara de ouro, onde essa vara afundaria de uma só vez; ali, o Pai do Sol queria estabelecer sua corte.

Logo os ensinamentos de Manco e Mama começaram a dar frutos, então o Deus do Sol decidiu criar uma cidade que era o berço de seu império: era assim que a lendária cidade de Cusco nasceria e se iniciaria a civilização Inca, mas isso é outra história.

Os incas da região do Titicaca adoravam essa deusa chamada de Kotakahuana, uma das mais antigas representações da Virgem Maria no continente. Porém, quando os espanhóis chegaram e conquistaram essas terras, a imagem da deusa foi adaptada e surgia assim a Virgem de Copacabana e consequentemente a cidade de Copacabana.

E no século XIX, comerciantes locais levaram para o Rio de Janeiro uma réplica da Virgem de Copacabana e a instalaram em uma pequena igreja improvisada. A construção cresceu e o bairro passou a ser chamado de Copacabana em homenagem a santa. Curioso né?!

Representações indígenas e espanholas na Basílica de Copacabana
  • Atrações:

Basílica de Copacabana

Maior e mais visitado templo católico da Bolívia, a Basílica é dedicada à Virgem de Copacabana, uma das padroeiras do país e uma das representações de Maria mais devotadas de toda a América Latina, inclusive no Brasil. O grandioso templo em estilo barroco foi construído em 1601, fazendo dela também uma das mais antigas igrejas do país.

Segundo a lenda, a imagem original da Virgem de Copacabana haveria sido esculpida em um cacto, em 1583, pelo sobrinho do imperador inca Huayna Capac, sendo uma das poucas imagens com traços indígenas.

Não é permitido fotografar no interior da basílica.

Plaza 2 de Febrero

Localizada bem em frente a basílica, essa é a principal praça de Copacabana e foi em torno dela que a cidade em estilo espanhol se expandiu.

Cemitério Geral

Se você é, assim como eu, um apaixonado por arte tumular, visitar o pequeno cemitério da cidade pode ser interessante, pois há vários mausoléus e esculturas interessantes.

Cerro el Calvario

É do alto dessa pequena colina que se tem a mais bela vista de toda a cidade, que parece um grande e colorido jogo de Lego vista de cima. Mas se prepare, pois a subida até o topo, apesar de não ser tão longa, é bem cansativa devido a altitude – afinal, estamos há mais de 4 mil metros acima do nível do mar.

A subida é feita por escadas e ao longo do trajeto estão representações das 14 estações da Via Crúcis ou Via Sacra. No final, há vários oratórios e uma pequena feira que vende os mais diversos produtos.

Lago Titicaca

Maior e mais alto lago navegável do mundo (8300 km² e está a 3.821m acima do nível do mar) o Titicaca tem ao todo 41 ilhas e suas águas e vilarejos ao redor são repletas de histórias e lendas. Navegar pelo lago é um dos passeios mais legais de se fazer na região.

Isla del Sol

Repleta de belezas naturais, sítios arqueológicos e cenário de muitas histórias e lendas andinas – além da fama de ser um lugar místico – a Isla del Sol é sem dúvidas um dos lugares mais fantásticos e mágicos do mundo, com paisagens de encher os olhos.

É possível se hospedar na ilha ou visita-la em apenas um dia – saiba tudo sobre como visitar a Isla del Sol aqui.

Isla de la Luna

Sua principal atração é o Inakullu ou Templo da Lua, também conhecido como Templo das Virgens, do qual parte das fachadas que circundam a esplanada onde as cerimônias foram organizadas ainda são preservadas. A ilha é pequena e as visitas à ela geralmente são conciliadas com a Isla del Sol.

Isla de la Luna vista da Isla del Sol

Porto de Copacabana

Pequeno, bagunçado e sem infraestrutura, é do Porto de Copacabana, às margens da Avenida Costanera, que saem os barcos que vão até Isla del Sol e Isla de la Luna. É um ótimo lugar também para observar o estilo de vida dos pescadores da região.

Avenida Costanera

Essa importante avenida que circula o Titicaca tem vários restaurantes e hotéis. Um dos pontos mais interessantes da avenida é a Praça Eduardo Avaroa.

Igreja del Señor de la Cruz de Colquepata

Essa pequena capela fica localizado em uma das entradas do Cerro Calvario e dá início ao caminho das 14 estações.

Praia de Copacabana

Tudo bem que essa praia em nada se compara a praia carioca, mas visualmente, tem seus encantos. Infelizmente as margens são sujas e as águas geladas. Mesmo assim, quando há sol, as areais são um bom lugar para curtir o clima andino.

  • Como chegar

No meu caso, cheguei de La Paz – fui ao terminal de ônibus de La Paz e pedi ônibus para Copacabana. Existem várias empresas que fazem a viagem, por isso, compare preços e pechinche, se o deixarem, porque os bolivianos não estão tão abertos a barganhar com estrangeiros, embora os preços sejam variáveis.

Peguei o ônibus por volta das 8h e a jornada deveria ter durado três horas e meia, mas no final terminou em quatro horas e meia, devido a obras na rodovia.

Quando faltam apenas 45 minutos para chegar a Copacabana, o ônibus atravessa o estreito de Tiquina em uma balsa. Este estreito é o que separa o Titicaca em dois grandes corpos d’água.

Aqui, todos os passageiros devem descer do ônibus e atravessar em um barco velho e super cheio que custou 2 bolivianos. A teoria é que o ônibus não pode atravessar a balsa com pessoas dentro, pois o risco de afundamento é grande – mas tive essa impressão andando no barco de passageiros haha.

Fila para entrar no barco
  • Quanto tempo ficar:

Copacabana é pequena e fácil de se locomover – as atrações ficam todas ao redor do Titicaca. Eu fiquei 2 dias na cidade – um dedicado apenas a Isla del Sol. Já no outro dia, conheci as demais atrações com calma. Mas se você tiver apenas um dia na cidade, priorize a Isla del Sol e o Cerro Calvario.

  • Onde ficar:

Sendo um ótimo destino turístico, a cidade oferece uma grande variedade de acomodações, de muito econômicas a algumas de categoria superior. Eu fiquei no Hotel Mirador del Lago, localizado na avenida Buch, quase em frente ao Titicaca. Duas diárias para um quarto duplo saiu por cerca de 35 bolivianos, incluindo um delicioso café da manhã.

Vista do meu quarto no Hotel Mirador
  • O clima na cidade:

Devido a alta altitude, as temperaturas em Copacabana são sempre amenas, mas enfrentam variações ao longo do dia. Quando fui, em janeiro de 2017, chovia muito a noite e pela manhã e e fazia muito frio, mesmo sendo “verão” no hemisfério sul. De dia, quando o sol saia, esquentava e tempo limpeza. Por isso, vá preparado para as 4 estações.

  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *