O que fazer na cidade de Kalkara em Malta

Kalkara é uma pequena vila de pescadores com pouco mais de 3 mil habitantes localizada ao lado das famosas Three Cities – sendo que muitas vezes Kalkara é incluída nesse conjunto de cidades portuárias históricas. Kalkara faz parte também da área interna do porto da Grand Habour e ocupa a área ao redor do riacho Kalkara. Apesar de pequena, a cidade tem alguns atrativos interessantes.

  • História:

Kalkara se desenvolveu como uma pequena comunidade de pescadores em torno da enseada da Grand Harbour. Alguns historiadores acreditam que a terra que hoje é conhecida como Kalkara, foi uma das primeiras a ser habitada pelos habitantes iniciais de Malta que vieram da ilha vizinha da Sicília.

Quando, em 1530, os Cavaleiros de São João chegaram a Malta e estabeleceram sua sede na vizinha Birgu, iniciaram um processo de desenvolvimento e fortificação da área, que culminou com a construção das Linhas de Cottonera ; uma enorme linha de fortificações que abrange as cidades de Birgu, Bormla e Isla na área conhecida como Cottonera, e a construção de Fort Ricasoli na foz do Grand Harbour. Com o passar dos anos, os ataques com corsários e turcos às Ilhas Maltesas chegaram ao fim virtual, e esse novo sentimento de segurança garantiu que Kalkara se desenvolvesse como um subúrbio de Cottonera, e principalmente a cidade de Vittoriosa (Birgu).

Linhas de Cottonera

A população aumentou lentamente e, nos séculos XIX e XX, Kalkara se transformou em um pequeno e encantador resort à beira-mar, enquanto sua orla e centro histórico adquiriam seu layout atual.

Já seu nome é derivado da palavra latina para cal (Calce), e acredita-se que desde os tempos romanos fornos de cal estão instalados na região.

  • O que ver e fazer em Kalkara:

Forte Ricasoli

Maior forte de Malta, foi construído pela Ordem de São João entre 1670 e 1698 e está na lista provisória de locais do patrimônio mundial da UNESCO desde 1998, como parte das fortificações dos cavaleiros nos portos de Malta.

O forte foi usado durante a invasão francesa de Malta em 1798, foi local do motim de Froberg em 1807 e foi usado como hospital militar durante o século XIX. Durante a Segunda Guerra Mundial, partes do forte foram destruídas por bombardeios aéreos e depois de ter sido desativado na década de 1960, foi usado para fins industriais. Hoje, o forte permanece praticamente intacto, mas em estado de ruína, e é usado como local de filmagem e instalação de limpeza de tanques. Os planos para restaurar o forte foram aprovados em junho de 2019.

Vila Bighi

O Hospital Naval Real Bighi, também conhecido como Hospital Bighi , era um importante hospital naval construído no local dos jardins do Palazzo Bichi,  contribuindo para a assistência médica e de enfermagem dos necessitados no Mediterrâneo – a grande quantidade de hospitais em Malta deram a ela o título de “a enfermeira do Mediterrâneo”. O edifício de estilo dórico moderno foi construído em 1830 e tem um interessante elevador que liga o mar ao prédio.

Desde 2010, o site abriga a sede do Heritage Malta; a agência nacional de museus, práticas de conservação e patrimônio cultural.

Porto de Kalkara

É no pequeno porto de Kalkara que se localiza a Marina e onde são construídos boa parte dos tradicionais barcos locais, conhecidos por dgħajsa maltês. As ruas ao redor do porto são perfeitas para caminhar, cheias de árvores, praças e bancos – é também um ótimo lugar observar o pôr do sol.

Marina de Kalkara
Praça às margens do Porto
Porto

Igreja de São José

Sede da Paróquia de Kalkara, a Igreja de São José foi construída entre 1884 e 1885 e anos depois recebeu rica decoração. Em 10 de abil de 1942, durante a II Guerra Mundial, a igreja foi bombardeada e completamente destruída, tendo sido reconstruída em 1952.

Linhas Cottonera

Também conhecidas como linhas Valperga, as Linhas Cottonera são uma linha de fortificações entre as cidades de Cospicua e Birgu, com alguns trechos em Kalkara. Eles foram construídos nos séculos XVII e XVIII para formar as defesas externas das Três Cidades de Birgu, Senglea e Cospicua no lugar de uma linha anterior de fortificações, conhecida como Linhas de Santa Margherita.

  • Como chegar:

A cidade é atendida pela linha 3 do transporte público, ônibus que faz a ligação direta entre Kalkara e Valleta em cerca de 20-30 minutos. Já a principal entrada da cidade é feita pela rua Ix-Xatt, através de uma muralha.

Entrada principal da cidade
  • Se localize:

Saiba tudo sobre viagem por Malta aqui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *