Conheça os castelos medievais de Nápoles, Itália

Nápoles, localiza na região da Campânia, sul da Itália, é uma das mais antigas cidades do mundo, habitada desde o século 9 a.C. Mas foi durante a Idade Média que a cidade viveu seu auge, se tornando capital do Reino de Nápoles e residência oficial de alguns dos monarcas mais poderosos da Europa. E boa parte da história desse período pode ser vista nos 4 grandes castelos medievais da cidade, sobreviventes de inúmeras guerras e hoje abertos ao público.

  • Castelo Capuano

Localizado na região central de Nápoles, o Castelo Capuano fica no final da Via dei Tribunali e passa despercebido por boa parte dos turistas devido ao seu aspecto mais simples. Foi construído no século XII por Guilherme I, filho de Rogério II da Sicília, primeiro monarca do Reino de Nápoles, tendo sido expandido anos depois por Frederico II de Hohenstaufen, quando se tornou um de seus palácios reais. É o mais antigo castelo de Nápoles, apesar das constantes intervenções na estrutura que mudaram drasticamente sua aparência.

Bem na entrada, há uma homenagem ao imperador Carlos V, que visitou Nápoles em 1535. O castelo abrigou por muitos anos o Tribunal de Justiça de Nápoles, que agora se encontra no Centro Cívico, o Centro Direzionale. Atualmente passa por restaurações para ser reaberto como museu.

Endereço: Piazza Enrico di Nicola, Centro.
Horário: Domingo a sexta-feira, das 9 às 18.30.

  • Castelo dell’Ovo

O Castelo dell’Ovo é o segundo mais antigo castelo da cidade, servindo como residência real até o século XVI. Localizado na pequena ilha de Megáride, no Golfo de Nápoles, é uma construção imponente que serviu por muitos séculos como esconderijo do tesouro real, devido as suas grandes e bem construídas fortificações.

O seu curioso nome vem de uma antiga lenda, segundo a qual o poeta latino Virgílio – que na Idade Média também era considerado um mago – escondeu dentro do castelo um ovo mágico responsável por manter em pé toda a fortaleza. A sua quebra provocaria não só a destruição do castelo, mas também várias catástrofes em Nápoles.

Atualmente o castelo é aberto ao público e do alto de seus terraços oferece belíssimas vistas da região. A área em torno também é bem agitada, principalmente à noite, com grande concentração de bares, clubes e restaurantes.

Endereço: Via Eldorado, 3
Horário: No verão, das 9h às 19h30 em dias de semana, e das 9h às 14h em feriados; no inverno, das 9h às 18h30 em dias de semana, e das 9h às 14h em feriados.

  • Castelo Novo

O Maschio Angioino, popularmente conhecido como Castelo Novo (Castel Nuovo), é o mais famoso e visitado dos castelos da cidade, principalmente por sua localização em frente à Piazza Municipio e ao Porto de Nápoles.

Construído entre 1279 e 1285 por ordem de Carlos I de Anjou, foi primeiramente habitado por Carlos II de Nápoles. Durante o reinado de Roberto I de Nápoles, o castelo foi ampliado e decorado, porém, em 1347 foi saqueado pela armada húngara, onde foi parcialmente destruído – foi reconstruído anos depois durante o reinado de Joana I. Mas foi durante o reinado da Casa de Aragão, comandada por Afonso V de Aragão, que o castelo ganhou seu magnífico pórtico de entrada em forma de arco. Após o saque de Nápoles em 1494 pelos franceses, o Castelo Novo transformou-se em uma fortaleza militar, voltando a ser residência real no século XVIII.

Desde 1990, funciona dentro do castelo o Museu Cívico, com um itinerário que parte da capela palatina do século XIV e segue para a sala do Armory até o primeiro e segundo nível do castelo, com exposições destinadas à história do castelo, à pintura e a escultura.

Endereço: Via Vittorio Emanuele III, 80133
Horário: diariamente até às 18.30h.

  • Castelo de Sant’Elmo

Localizado no alto da colina Vomero, 250 metros acima do nível do mar, o Castelo de Sant’Elmo pode ser visto de quase toda a cidade e lá do alto, proporciona uma visão completa de Nápoles com o Monte Vesúvio ao fundo. Foi primeiramente construído em 1275, passando por diversas reconstruções ao longo dos séculos. A atual estrutura é de 1537, quando ganhou a forma de estrela de seis pontas – é o único castelo do mundo com esse formato. Entre 1860 e 1952, foi uma prisão militar e desde 1982 serve como um museu, sala de exposições e escritórios. O nome “Sant’Elmo” deriva de uma antiga igreja do século X, Sant’Erasmo, encurtada para “Ermo” e, finalmente, alterada para “Elmo”.

Anexado ao castelo está a Certosa do San Martino, um antigo complexo de mosteiros construídos em 1368 e que agora abrigam um museu com exposição de artefatos da era espanhola e Bourbon.

Endereço: Via Tito Angelini, 22.
Horário: diariamente, das 8h30 às 19h30.

Castelo em formato de estrela de seis pontas
Castelo e o complexo de mosteiros
  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *