Roteiro de um dia em Split, a segunda maior cidade da Croácia

Segunda maior cidade da Croácia, com quase 200 mil habitantes, Split é também a maior cidade da região da Dalmácia e um dos principais centros financeiros e culturais do país. Localizada em uma península entre o mar Adriático e grandes montanhas, Split é habitada desde o século II d. C. e já foi governada pelos romanos, bizantinos, pela nobreza croata e húngara, pela República de Veneza, Império Austro-Húngaro e Império Napoleônico. Essa sucessão de poderes faz a cidade se tornar um verdadeiro museu à céu aberto com ruínas, monumentos, igrejas, palácios e museus.

Típica rua de Split

Split é também um badalado balneário, principalmente no verão, tendo bons bares e restaurantes, além de ser a cidade base para conhecer ilhas famosas como Hvar e Brač.

Vamos ver o que a cidade oferece? 

  • Palácio Diocleciano

Enquanto planejava minha viagem à Split, a primeira vez que li “palácio” imaginei uma grandiosa construção com museu e jardins. Mas na verdade o Palácio Diocleciano é uma pequena “cidade” amuralhada, com vielas repletas de lojas, cafés e restaurantes.

Foi construído entre 293 e 305 d.C pelo imperador romano Diocleciano para ser sua residência depois de abdicar do império devido a problemas de saúde. O palácio, além de ser servir como refúgio para o imperador, com grandiosas muralhas, era também uma vila e vários de seus súditos viviam ali dentro.

Abandonado com o passar dos séculos, casas começaram a ser construídas dentro das muralhas do palácio, sendo adaptadas às ruínas. E foi ao redor do palácio que a cidade de Split começou a crescer.

Atualmente, além de variado comércio, dentro do Palácio se encontram: o Museu da Cidade (Muzej Grada Splita) e a Catedral de São Dômnio (Katedrala Svetog Duje), nosso próximo tópico.

Muralhas
Uma das entradas do palácio
Praça Central

  • Catedral de São Dômnio

Diocleciano era natural da Dalmácia e além do palácio, mandou construir um mausoléu nos limites da muralha para que seu corpo fosse colocado após a morte, uma forma de permanecer em sua terra natal. Com a propagação do cristianismo, o Mausoléu de Diocleciano se transformou em igreja católica, mas ainda preserva em seu interior os restos mortais do imperador. Em 1100, uma grande torre foi construída em frente ao templo e é até hoje a estrutura mais alta dentro das ruínas, sendo facilmente reconhecida de vários pontos da cidade.

Curiosamente, a catedral é dedicada a São Dômnio, morto a mando do próprio imperador Dioclesiano por ser cristão. Atualmente, São Dômnio é o padroeira da cidade e relíquias dele e de Santa Lúcia podem ser encontradas na cripta da igreja.

  • Riva

Na região dos Bálcãs, as Rivas é como são chamados os calçadões à beira-mar. A Riva de Split foi construída durante o domínio napoleônico e é hoje um dos lugares mais badalados da cidade. Localizada entre o Palácio Diocleciano e a baía de Split, a Riva é cheia de bares, cafés e restaurantes com mesas ao ar livre, além de um belo jardim com vista para o mar.

  • Mercado Verde

Durante a minha viagem pela Europa percebi o quanto que as feiras são populares e na Croácia não é diferente. Bem em frente à uma das entradas do Palácio Diocleciano está o Mercado Verde (Pazar), uma grande feira a céu aberto onde é possível encontrar os mais variados produtos, com destaque para as hortaliças – é também o melhor lugar para comprar lembrancinhas da cidade.

  • Igreja e Mosteiro de São Francisco

Localizado ao final da Riva, esse conjunto religioso foi construído em um antigo local cristão primitivo, junto à sepultura e a uma pequena igreja de São Félix, mártir da época de Diocleciano. Entre as obras de arte da Igreja, a mais valiosa é a pintura do Crucifixo Gótico de Blaž Juraj, de Trogir, do início do século XV, e o sarcófago representando a Travessia do Mar Vermelho, parte da obra de arte sacra da época romana. Ao lado da igreja está um mosteiro franciscano com um claustro do século XIII e uma biblioteca com mais de 3.000 livros.

  • Rua Marmontova

Outra rua muito famosa na região, cheia de lojas populares como Zara e Bershka. No final dessa rua está uma movimentada praça com igreja, ruínas romanas e o belo Teatro Nacional Croata de Split.

Igreja no final da rua Marmontova
Teatro Nacional
  • Parque Josipa Jurja Strossmayera

Esse bonito e arborizado parque urbano fica em frente à uma das entradas do Palácio Diocleciano e tem fontes, estátuas e monumentos.

Ruínas romanas

  • Museu de Belas Artes

Esse é um dos principais museus de Split, contendo obras do século 14 até os dias atuais e fornecendo uma visão geral dos desenvolvimentos artísticos no cenário local. O museu foi fundado em 1931 e tem uma exposição permanente de pinturas e esculturas que inclui obras de grandes artistas croatas como Vlaho Bukovac, Matos Celestin Medović, Branislav Deškovic, Ivan Meštrović, Emanuel Vidović e Ignjat Job. O museu também tem uma extensa coleção de ícones e exibe exposições especiais de obras de artistas contemporâneos.

  • Marjan

Marjan é o nome de uma grande colina localizada ao final da Riva, bem próximo ao centro histórico. É uma das áreas mais altas de Split e proporciona as melhores vistas da cidade. Para chegar até o mirante, pode-se pegar algumas ruas que partem do Palácio Diocleciano ou através de escadarias localizadas no final da rua Šetalište Ivana Meštrovića.

Escadaria que dá acesso a colina

Ao longo do trajeto existem pontos de observação, uma capela e um restaurante, o Café Bar Vidilica, muito popular no pôr do sol.

A colina também abriga uma grande área verde chamada de Marjan Forest Park, com várias trilhas em meio a vegetação.

Área de vegetação
Vista do mirante
Vista do mirante

  • Região portuária

O porto de Split é uma das áreas mais movimentadas da cidade, até porque é aqui que os grandes transatlânticos param todos os dias com milhares de turistas. Em frente ao porto há várias lojas populares e com preços bem interessantes; o terminal rodoviário; a estação ferroviária e um calçadão em frente ao mar que proporciona belas vistas da região.

A vista a partir do porto
  • As praias de Split

Apesar de se localizar às margens do Mar Adriático, Split não é tão conhecida por suas praias. Isso porque, apesar da cor da água ser supreendente, elas são em sua maioria pequenas, com faixa de areia bem estreita e muitas delas são artificias. Por isso, a maioria dos turistas acaba indo diretamente para as ilhas ao redor, cheias de praias badaladas, como Hvar.

Durante minha visita a Split, o tempo estava nublado e frio, o que anulou minha ida à praia. Mas se você tiver interesse em conhecer alguma praia na cidade, duas das mais conhecidas e próximas do centro são a Bačvice Beach e a Uvula Kasjuni Beach.

  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *