10 atrações imperdíveis em Budapeste, a incrível capital da Hungria

Não há como negar. Budapeste é uma das cidades mais bonitas do mundo e razões não faltam para isso. Monumentos romanos, castelos, pontes, palácios, igrejas e grandes avenidas formam essa que é um dos maiores centros urbanos da Europa, com quase 2 milhões de habitantes. Além disso, a capital húngara é um dos maiores destinos turísticos do mundo, sendo a 6ª cidade mais visitada da Europa. Foi também eleita recentemente pela UCityGuides a nona cidade mais bonita do mundo. Diante disso, só nos resta saber o que Budapeste nos reserva. Vamos conhecer suas maiores atrações?

  • Rio Danúbio

Com 2 888 km de extensão, o Danúbio é o segundo mais logo rio da Europa, atravessando diversas capitais e formando a fronteira natural de 10 países europeus. Mas é em Budapeste que ele tem seu trecho mais famoso. Incluída na lista de Patrimônio Mundial da UNESCO, as margens do Danúbio entre Buda e Peste são repletas de imponentes e históricas construções que formam um dos conjuntos arquitetônicos mais espetaculares do planeta. E uma das melhores maneiras de conhecer o Danúbio e as construções ao redor é fazendo o famoso passeio de barco pelo rio.

Um dos tradicionais barcos turísticos

  • Castelo de Buda

Maior ponto turístico de Budapeste, o Castelo de Buda se ergue imponente no alto de uma colina, proporcionando uma das mais belas vistas da cidade com seus monumentos.

A primeira residência real construída no local foi entre 1247 e 1265. Destruído e reconstruído várias vezes com o passar dos séculos,  foi muito ampliado principalmente no século XVIII, quando a Rainha Maria Teresa da Áustria investiu milhares de florins e a construção ganhou aspecto de palácio barroco. Já durante a II Guerra Mundial, todo o castelo foi destruído, incluindo todo a mobília e obras de arte, o que causou grande comoção nacional. Imediatamente se deu inicio a um grande projeto de reconstrução não apenas do castelo, mas também das ruínas medievais das construções anteriores.

Reaberto ao público, o castelo passou a abrigar a Biblioteca Széchenyi, a Galeria Nacional Húngara e o Museu de História de Budapeste. Além disso, os belos jardins reais são repletos de monumentos, fontes e estátuas.

  • Igreja de Matias e Bastião dos Pescadores

Essas duas atrações formam o coração do Distrito do Castelo de Buda.

A Igreja de Matias foi originalmente construída em estilo românico em 1015, tendo sido reconstruída em estilo gótico no século XIV, quando se tornou a segunda maior igreja da Buda medieval e a sétima maior igreja do reino húngaro.

Atrás da Igreja de Matias está o Bastião dos Pescadores. Projetado e construído entre 1895 e 1902, esse grande terraço com torres em estilo neogótico e neo-românico é um dos mais famosos mirantes da cidade, oferecendo uma visão privilegiada do Danúbio.

A subida em algumas partes do terraço é paga, assim como o acesso ao interior da igreja.

  • Avenida Andrássy e Praças dos Heróis

Essa é a mais famosa e emblemática avenida de Budapeste, Patrimônio da Hunanidade pela UNESCO. Projetada em 1870, o grande boulevard recebeu seu atual nome em 1885 em homenagem ao primeiro-ministro Gyula Andrássy, principal incentivador ao plano de construção da avenida. A Andrássy também é servida pela segunda linha de metrô mais antiga da Europa, construída ao longo de todo o trajeto da avenida.

Além de várias lojas famosas, restaurantes e cafés, encontra-se ao longo dessa avenida: Museu dos Correios, Ópera Estatal Húngara, Casa Drechsle, A Broadway de Pest (quatro teatros em quatro esquinas no mesmo cruzamento), Teatro de marionetes e o Terror Háza: museu sobre os principais regimes opressores da Hungria, o fascismo, o comunismo e suas vítimas.

Entrada para o metrô da Avenida Andrássy

Em um dos extremos da avenida está a mais famosa e bela praça de Budapeste, a Hősök tere, ou Praça dos Heróis. A praça é cercada por duas colunas com estátuas de personagens históricos húngaros. Já no centro da praça ergue-se o Memorial do Milénio com estátuas dos líderes das sete tribos magiares que fundaram a Hungria no século IX. A construção do memorial teve início quando se celebraram os mil anos do país, em 1896.

  • Ponte das Correntes

A ponte mais famosa de Budapeste é também a mais conhecida e visitada sobre o Rio Danúbio. Porém, pouca gente sabe o porque de sua construção. Inaugurada em 1849, o nome oficial da ponte é Széchenyi Lánchíd, estadista húngaro que mandou construir essa ponte logo após perder o funeral de seu pai, já que o ferry que ligava as cidades de Buda e Peste não estava fazendo o trajeto por causa do mau tempo – surgia aí a necessidade de uma ponte.

Já o nome Ponte das Correntes veio devido ao reforço de correntes que a estrutura ganhou entre 1913 e 1915 devido ao aumento do fluxo entre sobre a ponte. E esse movimento fez com que as duas cidades fossem crescendo até se tornarem uma única metrópole.

Atualmente, são 5.200 toneladas de ferro distribuídos nos 380m de extensão e 2 vias destinadas aos carros e calçadas paralelas para os pedestres. Em suas extremidades se encontram as praças Roosevelt e Adam Clark.

  • Basílica de Santo Estêvão

Mais importante e visitado templo católico de Budapeste, essa basílica é também uma das construções mais altas da cidade, com com 96 metros de altura, além de ser a igreja maior da Hungria, com capacidade para 8.500 pessoas.

Começou a ser construída em estilo neoclássico em 1851, tendo sido completamente finalizada em 1905. Em uma de suas duas torres, localizadas na facahda principal, está o maior e mais pesado sino da Hungria, com nove toneladas.

Já em uma capela anexa está a relíquia mais importante da cristandade húngara: a mão direita mumificada do rei Estêvão I, primeiro rei da Hungria e fundador da igreja húngara.

  • Gellért Hill e Citadella

O Gellért Hill é uma colina de 235 metros localizada às margens do Rio Danúbio. Seu nome Szent Gellért hegye (Colina de St. Gerard) se refere à lenda sobre a morte de St. Gerard. O santo bispo foi morto pelos pagãos durante a grande rebelião pagã em 1046. Ele foi colocado em um barril e jogado do topo da colina.

Para chegar até o topo, é necessário subir por rampas e escadas em meio a vegetação. Há também grutas, monumentos e pontos de observação ao longo do caminho.

No alto da colina, além de se ter as melhores vistas de Budapeste, está localizada a Cidadela (Citadella), construída em 1851 pelos governantes Habsburgos austríacos como um local estratégico para vigiar Buda e Peste no caso de uma revolta futura. Dentro da Cidadela está a Estátua da Liberdade (Szabadság Szobor em húngaro), um grande monumento erigido pelo Exército Vermelho Soviético para comemorar sua vitória na Segunda Guerra Mundial.

Estátua da Liberdade
Citadella
  • Parlamento húngaro

O Parlamento de Budapeste, onde se encontra a Assembleia Nacional da Hungria é o maior edifício do país e o segundo maior parlamento da Europa, além de ser um dos mais belos e imponentes edifícios que vi na vida. Localizado às margens do Danúbio, o Parlamento 18 000 metros quadrados, 700 salas e gabinetes, 27 entradas e uma grande cúpula que guarda a coroa do primeiro rei húngaro, Santo Estêvão.

Em 1880 a Assembleia Nacional lançou um concurso para a construção de um edifício que se tornasse um símbolo da soberania húngara e o projeto ganhador foi o do arquiteto Imre Steindl. Curiosamente, os outros dois projetos inscritos no concurso foram realizados em frente ao Parlamento e hoje abrigam o Museu Etnográfico e o Ministério da Agricultura. Já a construção do projeto vencedor começou em 1885 e foi finalizada em 1904. Atualmente se rezlizam visitas guiadas no interior do prédio.

  • Parque da Cidade

Também conhecido como Parque Városliget, esse é o principal parque da cidade e famoso ponto de lazer e convívio dos budapestinos. No passado, essa área era um recinto de caça usado pela nobreza. Já nos séculos XVIII e XIX, foi urbanizado e transformado em parque público, um dos primeiros do mundo. Bem arborizado, o parque abriga fontes, lagos, floreiras, monumentos, um pequeno zoo, parque de diversões, o Castelo Vajdahunyad (que abriga museu e igreja) e as Termas de Széchenyi, meu próximo tópico.

  • Termas de Széchenyi

Budapeste possui o maior sistema de água termal do mundo e não é atoa que o maior banho medicinal da Europa também fique aqui. Estou falando das Termas de Széchenyi, que através de duas fontes termais, fornece águas com temperaturas entre 74° C e 77° C. Entre os componentes dessas águas termais estão sulfato, cálcio, magnésio, bicarbonato e uma quantidade significativa de ácido metacárico e fluoreto. Já as piscinas exteriores tem temperatura entre 27 e 38° C. O complexo também inclui saunas e vapor. Os valores para utilizar as termas são superiores à 50€.

  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *