Dicas, fotos e roteiro de atrações na colorida São Luiz do Paraitinga

São Luiz do Paraitinga é um pequena cidade localizada no Vale do Paraíba, no eixo entre Ubatuba, no litoral, e Taubaté, no interior. Foi fundada como uma pequena vila em 1769 por bandeirantes, tendo se tornado cidade em 1857. Já em 1873, foi elevada ao nível de Cidade Imperial, título dado por Dom Pedro II. E boa parte dos 250 anos de história do município podem ser apreciados em seu centro histórico, um dos mais belos e coloridos do país – a cidade tem o maior número de casas térreas e sobrados tombados como patrimônio pelo CONDEPHAAT e pelo IPHAN no Estado de São Paulo. São aproximadamente 450 imóveis declarados de interesse paisagístico.

Em janeiro de 2010, o transbordamento do Rio Paraitinga, que corta da cidade, destruiu boa parte desse conjunto arquitetônico, incluindo a Igreja Matriz, o que causou grande comoção nacional na época. Os órgãos patrimoniais rapidamente começaram obras de restauro e reconstrução dos imóveis afetados. Essa rapidez em reconstruir a cidade,  segundo alguns moradores que acabei conversando, acabou burlando várias etapas do restauro, o que acarretou na perda de características originais :cry:.

Independente disso, com o centro histórico reconstruído, a cidade voltou a receber os tradicionais eventos que todos os anos atraí milhares de turistas: o Carnaval, a Festa do Divino Espírito Santo e os tapetes de Corpus Christi – saiba mais clicando aqui.

Rio Paraitinga
Os tradicionais tapetes de Corpus Christi
  • Informações práticas:

Nome: São Luiz do Paraitinga
Estado: São Paulo
Fundação: 08 de maio de 1769
População: 10 mil (2018) – 362° estado | 2.927° país
Gentílico: luizense
IDH: 0.697 (2010) – 590° do estado entre 645 municípios
Distância até a capital do estado: 171 km.

  • Minha visita:

Visitei a cidade no feriado Corpus Christi, 15 de junho de 2017 e exatos 7 anos depois da enchente, ainda é visível os impactos dela na população. Na praça central, haviam alguns casarões em ruínas e outros esperando restauro. Já na Igreja Matriz e na Casa Oswaldo Cruz, há espaços dedicados apenas a esse triste episódio da história luisense. Mas o que mais me chamou a atenção foi a união da população para ajudar os afetados pela enchente e reconstruir a cidade, e isso faz toda a diferença – união faz a força, já dizia minha mãe haha :D.

Brincadeiras a parte, achei a cidade maravilhosa, colorida, agradável e muito acolhedora ::otemo::.

As ruas do centro histórico
  • Como chegar:

Bem, para se ter acesso a São Luiz vindo da capital e de carro, o caminho mais fácil é pegando a Via Dutra até Taubaté e depois a rodovia Oswaldo Cruz, sentido litoral. Porém como não tenho nem carta e muito menos carro :cry: o jeito foi pegar um ônibus.

Não existe linha direta entre Campinas, onde moro, e São Luiz do Paraitinga, então o jeito seria pegar o ônibus até Taubaté. Porém só há 4 horários diários entre as duas cidades e todos eles eram pela manhã ou inicio da tarde e como teria que trabalhar na quarta, véspera do feriado, optei por ir até a capital, depois seguir até Taubaté e depois finalmente São Luiz.

Em Taubaté, o ônibus que vai para São Luiz do Paraitinga tem como destino final o distrito de Lagoinha e  é necessário pagar a passagem em dinheiro – a rodoviária não aceita cartão de crédito ou débito. A passagem custou 12,00 e a viagem dura 40 minutos.

A cidade fica no meio das montanhas e é muito bonito ver aquele monte de casinhas coloridas em meio a vegetação. A rodoviária fica do outro lado do Rio Paraitinga, mas é super fácil o acesso ao centro, basta atravessar o rio.

Região da rodoviária de São Luiz do Paraitinga
Colorido centro histórico
  • Atrações

  • Capela de Nossa Senhora dos Prazeres

Pequena capela inaugurada em 2014 às margens da Via João Roman.

  • Chafariz do Barão

Fica localizado ao lado do rio, na ponte da avenida Celestino Campos.

  • Praça Dr. Oswaldo Cruz

Principal praça da cidade, nela se localiza o Monumento à Oswaldo Cruz, a Igreja Matriz e o Coreto Antônio Nicolau de Toledo. Ponto de convívio da população e palco de constantes apresentações, a praça é cercada por coloridos casarões coloniais.

  • Igreja Matriz de São Luiz de Tolosa

Construída em taipa de pilão em 1840, a bela Igreja Matriz foi completamente destruída em 2010 pela grande enchente que devastou a cidade, tendo sido reinaugurada em 2014. Orçada inicialmente em 13 milhões, a obra de reconstrução custou pouco mais de 17 milhões de reais e foi coordenada pelo IPHAN. A igreja guarda em seu interior vestígios da antiga construção, como ruínas das paredes, pisos e objetos de arte sacra.

 

  • Praça Euclides da Cunha

Localizada a apenas uma quadra da Igreja Matriz, essa pequena e colorida praça tem um coreto em seu centro e é cercada por vários cafés e lojinhas.

  • Casa Elpídio dos Santos

Museu instalado na antiga casa de Elpídio dos Santos, maestro e compositor nascido em São Luiz de Paraitinga e autor de várias músicas de sucesso, principalmente na década de 1950. O museu tem em seu acervo móveis e objetos pessoais do maestro, além de uma exposição sobre sua história. Oficinas e palestras também são realizadas no espaço.

  • Capela de Nossa Senhora das Mercês

Construída em 1814, a Capela das Mercês foi a primeira igreja da cidade. Teve boa parte de sua estrutura de taipa de pilão destruída pela grande enchente, sendo reinaugurada em 2011 pelo IPHAN.

  • Ladeira das Mercês

Histórica ladeira localizada ao lado na capela de mesmo nome.

  • Casa Dr. Oswaldo Cruz

Construída em 1834, em taipa de pilão com paredes internas de pau-a-pique. Foi nesta casa que nasceu Oswaldo Cruz, um dos mais importantes sanitaristas da história do Brasil. Atualmente a casa funciona como um centro cultural. No fundo do centro cultural existe um pequeno bosque.

  • Cruzeiro

Situado no alto do morro central da cidade está a Praça Benedito Godoy, onde se encontra o famoso Cruzeiro. Bem ao lado existe um pequeno coreto que proporciona uma vista parcial de toda a parte baixa do centro. Para chegar lá, suba a Rua do Cruzeiro, a rua mais íngreme que já vi na vida. Uffa, foi cansativo haha ::mmm:.

  • Igreja do Rosário

Situada em uma área alta, a bonita igreja se destaca no horizonte e é uma das principais atrações da cidade. Infelizmente ela estava fechada, mas pude aproveitar sua belíssima arquitetura exterior, além das inúmeras casinhas coloridas ao seu redor. Para quem gosta de arte tumular, anexada a igreja existe um pequeno cemitério.

  • Largo do Teatro

Pequena praça onde no passado se localizava um teatro. No largo há um grande painel de bonitos azulejos portugueses com desenhos de época.

  • Mercado Municipal

Bonita construção de 1885 em estilo mourisco. O mercado reúne espaços dedicados ao artesanato, além de vários botequins e restaurantes que servem o tradicional “afogado”, prato típico da cidade.

Olha eu no Mercado Municipal
  • Carnaval de Marchinhas

Um dos mais famosos e tradicionais carnavais de marchinha do país acontece em São Luiz do Paraitinga. O carnaval de rua na cidade surgiu nos anos 1940, porém, depois de passar vários anos sem incentivo, foi retomado em 1984, quando foi realizada a 1° edição do Festival de Marchinhas de São Luiz do Paraitinga.Desde então, cerca de 150 mil pessoas todos os anos lotam as ruas do centro histórico durante os 5 dias de folia para aproveitar a festa que é animada por mais de 25 blocos que tocam principalmente as marchinhas locais – o que é uma forma de resgatar e divulgar a tradição da cidade. Outro destaque vai para os grandes bonecos feitos exclusivamente para a festa e que em sua maioria tem um aspecto bem assustador – alguns desses bonecos podem ser vistos no Museu Oswaldo Cruz.

Alguns dos bonecos usados no carnaval expostos no museu
  • Outras atrações fora do centro:

Para quem gosta de turismo de aventura, São Luiz do Paraitinga também oferece inúmeras trilhas em meio a mata fechada, cachoeiras, mirantes e um famoso circuito de mountain bike.

Infelizmente, como teria que trabalhar no dia seguinte, não pude passar mais tempo na cidade e aproveitar essas atrações naturais e de aventura. Mas fica a dica.

Simpático grupo se preparando para fazer mountain bike
  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *