15 atrações imperdíveis em Paris

Aaaa Paris, o que dizer de você? A eterna cidade luz encanta milhares de turistas todos os anos por sua história milenar, seus cafés, museus, arquitetura e também pelo jeito parisiense de ser – e bota turistas nisso, já que todos os anos, mais de 30 milhões de pessoas a visitam.

A capital e maior cidade da França não é apenas o maior símbolo da cultura francesa, mas também é uma das cidades mais importantes na história mundial e no mundo da moda e do luxo. Com mais de 2 milhões de habitantes (11 milhões se contarmos a região metropolitana), Paris tem inúmeras coisas para ver e fazer, com atrações naturais e culturais para todos os dias do ano. Mas se você só tem alguns dias na cidade, segue abaixo uma lista com 15 atrações para você não perder o melhor de Paris.

1°) Torre Eiffel

Símbolo máximo de Paris, a grandiosa torre de 324 metros de altura foi construída como o arco de entrada da Exposição Universal de 1889 e seria desmontada vinte anos depois, quando o contrato acabaria. Curiosamente, sua importância como antena de transmissão de rádio a salvou de ser desmontada.

Projetada por Gustavo Eiffel, a torre foi a estrutura mais alta do mundo desde a sua conclusão até 1930. Não incluindo as antenas de transmissão, atualmente é a segunda estrutura mais alta da França e a mais alta de Paris. É também o monumento pago mais visitado do mundo, com ingressos que podem ser adquiridos nas escadas ou elevadores do primeiro e do segundo nível – ao todo, a torre tem três níveis para os visitantes.

Imponente, principalmente a noite, a torre pode ser vista de vários pontos da cidade, mas os melhores lugares são: Campo de Marte, Trocadéro e o Observatório Panorâmico da Torre Montparnasse.

2°) Notre Dame

Igreja mais visitada do mundo e um dos monumentos históricos mais importantes e conhecidos, a Catedral de Notre Dame é também uma das mais antigas igrejas em estilo gótico da França, com construção iniciada em 1163 e concluída em 1345.

Imensamente citada na literatura e no cinema mundial, a catedral teve seu interior parcialmente destruído por um grande incêndio em 15 de abril de 2019, poucas semanas antes da minha viagem à capital francesa. A área ao redor foi completamente isolada e só pude aprecia-la do outro lado do rio Sena. Espero em breve voltar para conhecer seu rico interior, que será todo restaurado.

3°) Hôtel des Invalides

Fundado por Luís XIV, este foi o primeiro hospital militar e alojamento para soldados veteranos. A construção foi iniciada em 1670, a partir do projeto de Libéral Bruand, e foi concluída cinco anos depois. Atualmente, o espaço continua recebendo os inválidos, além de ser uma necrópole militar e ser sede de vários museus, como a Galeria Real dos Planos-relevo, o Museu Histórico do Exército e o Museu de História Contemporânea.

A fachada clássica do palácio é um dos pontos turísticos mais marcantes de Paris, com quatro andares, canhão, jardim e uma esplanada margeada de árvores que se estendem até o Sena. Já a Capela des Invalides e a sua cúpula dourada se destacam no horizonte da cidade. Nessa capela estão os restos mortais de Napoleão Bonaparte, na companhia dos seus dois irmãos, Joseph e Jérome Bonaparte, e do seu filho.

4°) Cemitério Père-Lachaise

Muita gente ainda torce o nariz para turismo em cemitérios, mas esse não é qualquer cemitério. Se trata do mais famoso e visitado deles. Criado em 1804, por ordem de Napoleão, os terrenos onde hoje estão o cemitério pertenciam ao Père de la Chaise, confessor de Luís XIV. Rapidamente se tornou o favorito dos parisienses e hoje atraí multidões de turistas devido a grande quantidade de celebridades ali enterradas. Edith Piaf, Jim Morison, Oscar Wilde, Allan Kardec, Balzac e Chopin são apenas alguns dos nomes.

5°) Rio Sena e suas pontes

O rio que corta Paris é também um dos mais famosos do mundo: estima-se que mais de 80 milhões de pessoas naveguem pelas águas do Sena nos tradicionais barcos turísticos (os barcos moscas). As principais atrações da cidade ficam localizadas às margens desse rio, como a Notre Dame, o Louvre e a Torre Eiffel e sua importância histórica é tão grande que suas margens foram classificadas como patrimônio da humanidade pela UNESCO. Ah, vale citar também as belas pontes sobre o rio – são trinta e sete ao todo. As mais conhecidas são a Pont Neuf, a Pont des Arts e a Ponte Alexandre III, a mais bonita de todas.

Ponte Alexandre III
Rio Sena
Rio Sena

6°) Jardim de Luxemburgo

Construído no século XVII, os Jardins de Luxemburgo possui belos e floridos jardins, lagos, estátuas, um teatro de fantoches, um pomar e um restaurante. Faz parte do parque também o belíssimo Palácio do Luxemburgo, réplica do Palácio Pitti de Florença e antiga residencia de Maria de Médici. Atualmente o palácio é sede do Senado da França.

7°) Centro Georges Pompidou

Um dos mais modernos edifícios de Paris, o Centro Pompidou tem arquitetura ousada, com escadas rolantes, elevadores, tubulações e vigas de aço que ficam todos à mostra. Isso permitiu que os arquitetos Richard Rogers, Renzo Piano e Gianfranco Franchini criassem um espaço interior livre para receber todo o acervo e estrutura do Museu Nacional de Arte Moderna, além de espaço para exposições temporárias, biblioteca, centro de apresentações, cinema e um ateliê para crianças. Entre as obras do museu, destaca-se telas de Picasso, Chagall, Miró e Pollock.

8°) Basílica de Sacré-Coeur

Durante a Guerra Franco-prussiana em 1870, dois empresários católicos fizeram o voto religioso de construírem uma igreja dedicada ao Sagrado Coração de Jesus caso a França escapasse do conflito. Paris foi poupada da guerra e os dois homens, Alexandre Legentil e Hubert Rohault de Fleury começaram a erguer o que é hoje a Basílica de Sacré-Coeur. As obras começaram em 1875 e foram concluídas em 1914. Com inspiração na arquitetura romana e bizantina, a basílica tem um grandioso campanário de 83 metros que guardam os sinos mais pesados da Europa, com 18,5 toneladas. Já a cúpula oval é o segundo ponto mais alto de Paris, atrás apenas da Torre Eiffel.

Ah, do alto da igreja se tem uma das mais belas vistas de Paris.

O belo interior de Sacré-Coeur
Paris vista do alto da Sacré-Coeur

9°) Jardim de Tuileries

Um dos maiores e mais belos parques da área central de Paris, o Jardim das Tulherias (Jardin de Tuileries) se localiza entre a Place de la Concorde e o Arco do Triunfo do Carrossel, bem em frente ao Louvre, margeando o Rio Sena. Foram projetados no século XVII por André Le Nôtre, jardineiro real do rei Luís XIV, em estilo italiano por ordem de Catarina de Médici e fazia parte do Palácio das Tulherias, incendiado em 1871. Com o passar dos anos, restaurações deixaram o jardim com estilo francês, introduzindo fontes e esculturas antigas e contemporâneas. O Musée de l’Orangerie e o Jeu de Paume, duas importantes instituições culturais, ficam localizados no jardim.

Arco do Triunfo do Carrossel

10°) Museu do Louvre

Maior e mais visitado museu de arte do mundo, com mais de 8 milhões de visitantes anuais, o Louvre fica instalado no Palácio do Louvre, originalmente construído como uma fortaleza para o rei Filipe II em 1190 – os restos da fortaleza são visíveis no porão do museu. Já em 1546, foi convertida por Francisco I na residência oficial dos reis franceses. Com o passar dos séculos, reis e imperadores reformaram e ampliaram a estrutura original até se tornar o maior palácio real do mundo.

O Louvre foi aberto para visitação pública em 1793, depois da revolução francesa, mas seu magnífico acervo do Louvre remonta à coleção iniciada por Francisco I, que comprou inúmeros quadros italianos, entre eles a Mona Lisa. Com o passar dos anos, doações e compras aumentaram a coleção. São 38.000 objetos, da pré-história ao século XXI, que são exibidos em uma área de 72.735 metros quadrados e divididos em 8 departamentos: arte mesopotâmica; antiguidades egípcias; antiguidades gregas, etruscas e romanas; arte islâmica; esculturas; arte decorativa; pinturas (divididas entre pinturas italianas, francesas, etc.); gravuras e desenhos. Além da Mona Lisa, quadro mais famoso do mundo, não deixe de visitar a Vênus de Milo, a Vitória de SamotráciaA Liberdade guiando o Povo, de Eugène Delacroix.

11°) Arco do Triunfo

Mais famoso arco triunfal do mundo, o Arco do Triunfo de Paris começou a ser construído em 1806 em comemoração às vitórias militares de Napoleão Bonaparte, em especial a Batalha de Austerlitz. Porém, problemas com o projeto do arquiteto Jean Chalgrin e o declínio do poder de Napoleão atrasaram a obra, só concluída em 1836. Com 50 metros de altura, 45 metros de largura e 22 metros de profundidade, esse foi o maior arco do triunfo do mundo até à construção do Monumento a la Revolución no México em 1938. O arco fica localizado na Place Charles de Gaulle, praça circular de onde partem 12 grandes avenidas de Paris, entre elas a Champs-Élysées. É possível subir no Arco por €12,00.

12°) Avenue de Champs-Élysées

A mais bela avenida do mundo ganhou sua atual forma durante as reformas urbanísticas lideradas pelo Barão de Haussmann. Desde então, se tornou a avenida mais famosa do mundo, com seus cinemas, cafés e luxuosas lojas. É também a segunda mais cara em imóveis da Europa. A Champs-Élysées se prolonga da Place de la Concorde até a Place Charles de Gaulle, onde está o imponente Arco do Triunfo.

13°) Torre de Montparnasse

Polêmica, a Torre Montparnasse foi construída entre 1960 e 1973, tem 210 metros e 59 andares. Sua arquitetura moderna destoa das demais construções ao redor, o que faz ela ser odiada por grande parte dos parisienses. Controvérsias a parte, a Torre Montparnasse oferece uma das mais, senão a mais bela vista de Paris e seus monumentos. Para chegar no mirante 360° do último andar, paga-se €18.

Eu fiz post só para falar desse mirante e você pode acessar clicando aqui.

Torre Monteparnasse
A incrível vista do observatório panorâmico no último andar

14°) Panthéon

Quando Luís XV se recuperou de uma grave doença em 1744, ficou tão grato que ordenou construir uma grandiosa igreja para reverenciar Sainte Genevieve. As obras começaram em 1764 e foram concluídas em 1790, tendo como inspiração o panteão romano. Já a grandiosa cúpula foi inspirada na St. Paul de Londres e de suas galerias se tem uma magnífica vista panorâmica da cidade.

Depois, com a revolução francesa, a igreja se tornou um panteão – local para os túmulos dos heróis da França – até se tornar público em 1885. O primeiro grande francês a ser sepultado ali foi o orador Honoré Mirabeau. Porém, sob a liderança de Robespierre, ele caiu em desgraça e seus restos mortais foram removidos. Depois vieram Voltaire, Jean Moulin, Pierre e Marie Curie, Malraux, Jean-Jacques Rousseau, Victor Hugo e Émile Zóla. Paga-se €8.

15°) Petit e Grand Palais

Esses dois belos prédios situados as margens do rio Sena ficam um de frente para o outro e guardam importantes coleções de arte. O maior deles, o Grand Palais, foi construído para a Exposição Universal de 1900 e tem uma imponente fachada em Art Nouveau, com estátuas de bronze de cavalos alados. Exposições temporárias de artistas internacionais acontecem com frequência nas galerias do museu.

Também erguido para a Exposição Universal, para abrigar uma grande exposição de arte francesa, o belo edifício do Petit Palais é atualmente o Museu de Belas Artes de Paris. De arquitetura parecida com o Grand Palais, a coleção permanente do museu é dividida em: Grécia e Roma; esculturas e marfins medievais e renascentistas; relógios e jóias renascentistas; arte e mobiliários e obras impressionistas.

Petit Palais
Grand Palais
  • Se localize:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *