Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos, monumento nacional em Santos

Santos é uma das cidades mais antigas e visitadas do país, conhecida principalmente por suas belas praias, riquíssimo centro histórico e claro, o maior Porto da América Latina. Mas a cidade natal de Pelé guarda também um dos mais importantes e interessantes sítios arqueológicos do Brasil, o Monumento Nacional Ruínas Engenho São Jorge dos Erasmos.

Datado de 1534 e composto de várias ruínas e sítios arqueológicos do que foi um dia um dos maiores engenhos de açúcar da região, pesquisas apontam que Engenho dos Erasmos foi a terceira construção do gênero no continente americano.

Rico em história e belezas arquitetônicas, esse lugar é capaz de nos levar de volta ao passado. Vamos conhece-lo?

  • História

A construção do Engenho dos Erasmos está completamente ligado à fundação da Vila de São Vicente em 1532 e o início da manufatura açucareira, quando o então Governador da Capitania, Martim Afonso, manda construir um engenho de açúcar com fortaleza, por volta de 1534.

Em 1540, o engenho foi vendido ao comerciante Erasmo Schetz e foi sob a direção da católica família Schetz, que foi construída uma capela dedicada a São Jorge e que caracterizou o período de apogeu do Engenho, quando haviam mais de cem escravos em suas dependências. Com isso, o engenho passou a ser conhecido como “dos Erasmos” ou “São Jorge dos Erasmos”.

Um século depois, o Engenho passou por um período de decadência motivado principalmente pelo crescimento da produção açucareira no Nordeste e os constantes ataques de piratas. Vendido em 1620, funcionou até meados do século XVIII, quando foi praticamente abandonado.

Só no século XX as ruínas foram redescobertas, quando os terrenos da região  da Vila São Jorge foram comprados e loteados por Otávio Ribeiro de Araújo. O terreno com as ruínas foi doado por ele em 1958 à Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo, que rapidamente realizou estudos no local e reconstruiu a área provável de fabricação do açúcar.

Nas décadas seguintes, o espaço foi tombado como Monumento Nacional pelo IPHAN, em 1963, pelo CONDEPHAAT, em 1974 e pelo CONDEPASA em 1990. Sua importância é justificada por ser um dos poucos testemunhos da ocupação européia no continente (sendo o único do tipo no estado de São Paulo) e também por ser um importante resquício do contato entre colonizador e indígenas e africanos escravizados.

  • O Engenho hoje:

Além de Monumento Nacional, as ruínas são também um sítio arqueológico, centro de pesquisa e um importante espaço turístico-cultural. Além de resquícios da mata atlântica em processo de recuperação, no espaço protegido é possível encontrar as ruínas da:

Soleira de porta, indício da entrada para o local onde ficava o paiol de armas.

Seteira, para segurança típica de fortificações medievais.

Pavilhão Saia: local onde ficavam a moenda, as caldeiras e fornalhas para a produção do açúcar.

Pavilhão Saia

Fosso, que provavelmente era utilizado para guardar armamentos e pólvora.

Fosso

Capela consagrada à São Jorge, padroeiro de Portugal na época.

Lateral da capela

Cemitério, onde escavações sugerem a utilização do espaço em dois momentos: o primeiro, anterior ao engenho e o segundo, após 1534.

E para finalizar a Base Avançada de Pesquisa, Cultura e Extensão Universitária, onde são realizados projetos e pesquisas, além de permitir a apropriação do espaço pelas comunidades interessadas. O espaço também conta com auditório, biblioteca e área para exposições.

Pequena exposição na Base Avançada de Pesquisa
  • Como visitar:

O Engenho dos Erasmos fica aberto de segunda à domingo (inclusive alguns feriados), das 9h às 16h. A entrada ao sítio arqueológico e as atividades ali realizadas são todas gratuitas. Em dias chuvosos as visitas às ruínas são suspensas, mas as atividades na Base de Cultura e Extensão continuam.

As visitas são guiadas por educadores e não é necessário agendamento para grupos de até 5 pessoas. Caso necessite agendar, o contato pode ser feito pelo telefone (13) 3229-2703 ou pelo ruinasengenho@usp.br. 

Endereço: Rua Alan Cíber Pinto, 96 Vila São Jorge, Zona Noroeste, Santos – SP – CEP 11085-625.

  • Se localize:

sítio arqueológico
Anoitecer nas ruínas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *