3 dias em Buenos Aires: fotos e roteiro de atrações na capital do tango

Ah Buenos Aires, que cidade charmosa. Lar de mais de 13 milhões de pessoas em sua região metropolitana e dona que um dos conjuntos urbanísticos e arquitetônicos mais fascinantes do mundo, Buenos Aires impressiona em vários aspectos, sendo conhecida principalmente pela vida cultural vibrante e claro, pelo tango.

Estive em terras argentinas entre os dias 17 e 21 de janeiro de 2016, sendo 3 dias dedicados exclusivamente para desbravar Buenos Aires. Nela, comi muito :P, dancei tango, fui assaltado ::putz:: e pude apreciar e curtir as principais atrações da cidade, seguindo sempre o lema ”bom e barato”. Contei um pouco mais das minhas experiências em terras portenhas em outro post que você pode acessar aqui.

Recoleta
  • Como se locomover na cidade

A grande Buenos Aires é enorme e densamente urbanizada, com isso a locomoção as vezes pode demorar mais que o previsto. As principais avenidas e rodoviais são asfaltadas e bem sinalizadas, mas apesar de serem linhas expressas, tem transito intenso e os congestionamentos são constantes.

O transporte público da cidade é extremamente barato e eficiente, sendo a melhor maneira de se locomover entre as atrações. Na minha viagem, fiz a maior parte dos passeios a pé ou utilizando ônibus e metrô ::otemo:: , chamado localmente de subte. Inclusive, o metropolitano de Buenos Aires é o mais antigo da América do Sul (inaugurado em 1913) sendo assim, suas estações são bem antigas, mas ligam os principais bairros turísticos da cidade.

A cidade também conta com uma grande malha de ônibus e táxis, além de transporte ferroviário. Os táxis não costumam ter taxímetro, então sempre combine o valor da corrida antes e tenha muito cuidado com golpes, pois é comum a circulação de notas falsas e a cobrança de preços mais altos só porque você é turista.

Para circular em bairros centrais, evite ir de carro – o melhor é circular a pé, afim de evitar o stress do transito, sem falar que achar uma vaga disponível é tarefa difícil. Então, se tiver disposição, faça igual a mim e faça seu roteiro a pé, assim você poderá admirar melhor as belezas da cidade.

Plaza de Mayo

Roteiro:

  • Dia 1 – Congresso, 9 de julho, Recoleta e Palermo

Para aproveitar ao máximo minha estadia na cidade, acordei cedo em plena segunda feira e já fui bater perna. Como o comércio no geral abre pós as 10h, aproveitei para comer umas empanadas de café da manhã (ohhh coisa gostosa que é essas empanadas ::otemo:: ) em uma pizzaria localizada na rua Albert, próximo ao hotel onde estava hospedado.

Os pontos de interesse que visitei no dia foram nessa ordem (deixei as atrações em negrito para facilitar):

Congresso Nacional – na minha singela opinião a mais bela e imponente construção da cidade.

Plaza del Congreso – Fica bem em frente ao Congresso e é na verdade um conjunto de várias praças arborizadas com inúmeros monumentos, fonte e lago.

Avenida de Mayo – essa histórica avenida liga a Plaza del Congreso à Plaza de Mayo e nela é possível encontrar variado comércio, hotéis de luxo e belíssimos edifícios.

Palácio Barolo – localizado na avenida de Mayo, o Barolo tem um edifício gêmeo em Montevidéu, o Palácio Salvo, projetado pelo mesmo arquiteto.

Avenida 9 de julho – Essa sim é uma avenida monumental. Larga, com um transito caótico e constante palco de eventos, foi um dos lugares que mais gostei na cidade, principalmente por ter um clima cosmopolita. Na 9 de julho aproveitei para conhecer o famoso Obelisco (paradinha para aquelas fotos básicas de turista) e o monumento às Cataratas do Iguaçu – sim, eles tem uma pequena réplica das cataratas em plena avenida.

Obelisco

Avenida 9 de Julho
Avenida 9 de Julho

Teatro Colón – um dos teatros mais bonitos do mundo pode ser visitado diariamente através do tour guiado (realizado em inglês ou espanhol) e que é um dos passeios mais interessantes da cidade

Para adquirir o ticket para o tour e que é realizado de meia e meia hora precisei me dirigir à entrada lateral do teatro onde fica a bilheteria. O ingresso custa cerca de 500 pesos::essa:: – mas apesar de caro, vale super a pena pois o teatro impressiona por sua estrutura, imponência, luxo e história.  Aproveitei que estava com fome e dei uma parada no café do teatro (ambiente super lindo, mas um pouco caro).

Plaza General Lavalle – bonita praça localizada em frente ao teatro Colón.

Tribunal de Justiça

Escola Presidente Roca

Plaza del Vaticano 

Teatro Nacional Cervantes

De volta a avenida 9 de Julho, passei pela Plaza Liberdad e caminhei até a Avenida Alvear, já na entrada do bairro da Recoleta, onde encontrei por acaso o charmoso Palácio Pereda, de estilo francês, sede da embaixada do Brasil em Buenos Aires. Já a avenida Alvear é uma atração à parte, por ter sido considerada uma das ruas mais luxuosas do mundo com seus inúmeros palácios, grifes e hotéis badalados. Apesar dos tempos áureos terem passado (motivado principalmente pela crise que a Argentina vive nos últimos anos), a avenida continua sendo uma das área mais elegantes e caras de toda a cidade.

Além do palácio Pereda, não deixe de visitar na avenida a Embaixada da França, o Jockey Club Argentino, Palácio da Nunciatura Apostólica, Palácio Duhau e o Alvear Palace Hotel.

Palácio Pereda
Plaza Carlos Pellegrini na Avenida Alvear
Palácio na Avenida Alvear

Caminhe até o final da avenida Alvear e você sairá no Cemitério da Recoleta – Muita gente ainda torce o nariz para arte tumular, mas eu simplesmente adoro e o cemitério da Recoleta é fantástico. Fiquei facilmente umas 3 horas dentro da necrópole visitando os principais túmulos, entre eles o de Evita Perón – eu fiz um post falando mais sobre os principais atrativos do Cemitério da Recoleta e você pode acessar aqui.

Em frente ao cemitério existem várias praças onde acontecem com frequência feiras e apresentações culturais. A maior delas é a Plaza Intendente Torcuato de Alvear.

Igreja Del Pilar – localizada ao lado do cemitério

Centro Cultural da Recoleta

Monumento à Alvear e Palais de Glace

Monumento a Alvear
Palais de Glace

Hard Rock Café Buenos Aires – fica localizado dentro do Buenos Aires Shopping Design.

Plaza Francia – localizada ao lado do Hard Rock, tem um belo monumento em homenagem à comunidade francesa.

Museu Nacional de Bellas Artes – é o mais importante museu de arte do país. Infelizmente estava fechado – era segunda feira.

Faculdade de Direito – a ponte universitária sobre a avenida Presidente Alcorta rende belas fotos desse monumental edifício.

Floralis Genérica – pausa obrigatória para fotos.

MALBA – Já estava extremamente cansado – e o calor de 30 graus do final da tarde não ajudava muito – mas mesmo assim decidi continuar com minhas andanças até o charmoso bairro de Palermo, com o objetivo de conhecer o MALBA – Museu de Arte Latino Americano de Buenos Aires. É nesse museu que está a nossa famosa tela O Abaporu de Tarsila do Amaral, além de telas de Frida Kahlo, Diego Rivera e Di Cavalcanti. O museu é bem grande e custa 60 pesos por pessoa. Lá dentro há um pequeno café e uma loja de lembrancinhas.

Realizando um sonho: ver O Abaporu de perto
Interior do MALBA

Plaza Uruguay – grandiosa praça pertinho do Malba e que é muito utilizada para piqueniques e para a prática de exercícios físicos.

Livraria El Ateneo Grand Splendid – Segui a pé do bairro de Palermo (aproveitei a caminhada para admirar a cidade) até esse que é um dos lugares mais lindos de Buenos Aires (considerada a segunda livraria mais bonita do mundo), a El Ateneo. Foi construída no prédio de um antigo teatro que foi transformado em cinema e anos depois nessa livraria e que atualmente é visitada por mais de 1 milhão de pessoas por ano. No que era o palco do teatro, há um charmoso café – Café Ateneo.

Uffa, cheguei ao fim das atrações do dia. Por incrível que pareça, fiz todo esse roteiro a pé (emagreci uns quilinhos também hahaha). Foi bem cansativo, mas consegui conhecer muitas coisas e economizar bastante com transporte.

Se localize:

 

  • Dia 2 – Plaza de Mayo, Caminito

O destino do dia foi a Plaza de Mayo e seus arredores. Do hotel onde estava em Bavanera, peguei a linha amarela do metrô, em seguida a linha azul e desci na estação Catedral, que fica bem ao lado da praça, em frente ao Museu do Bicentenário.

Meu tour foi o seguinte:

Ministério de Defesa

Parque Colón – Localizado bem atrás da Casa Rosada

Centro Cultural Kirchner – Achei esse um dos prédios mais imponentes e bonitos da cidade.

Banco de la Nación

Olha eu com o Banco de la Nacion ao fundo (à esquerda)

Casa Rosada – pausa para aquelas fotos básicas. De tão falada, pensei que a residência oficial da presidência argentina fosse maior hehe.

Minha intenção era ter conhecido o interior da Casa Rosada no tour que é realizado aos domingos, porém o furto do dia da chegada tirou todo o meu clima ::prestessao::.

Eu e o Dan (meu companheiro de viagem) na famigerada Casa Rosada

Plaza de Mayo e seus monumentos – principal praça da cidade e palco de importantes eventos da história do país, a Plaza de Mayo encanta por sua beleza e simbolismo.

Catedral Metropolitana

Cabildo de Buenos Aires – dentro desse prédio funciona um interessante museu (gratuito) que nos mostra como foi o processo de colonização espanhola não apenas na Argentina, mas em toda a América. Aproveite para tirar bonitas fotos da Plaza de Mayo no terraço do segundo andar.

Cabildo

Igreja de San Ignácio

Igreja de San Francisco e Capela de San Roque

San Francisco
San Roque

Basílica de Santo Domingo

Café Tortoni – Dei uma pausa nas andanças e fui conhecer o café mais famoso da cidade, na Avenida de Mayo, pertinho do Cabildo. O espaço estava lotado e tive que ficar uns 15 minutos esperando do lado de fora para conseguir uma mesa. Assim que entrei, fui atendido pelo José, super simpático e atencioso, que disse que adora os brasileiros :D .

Cara de quem comeu muito

Calle Florida – Essa rua é um dos lugares mais charmosos e animados da cidade. Movimentada e cheia de lojas, shoppings e ambulantes, a Calle Florida é o melhor (ou pior) lugar para fazer o famoso câmbio paralelo no mercado negro.

Galerias Pacífico – esse é o shopping mais bonito que vi na vida, graças principalmente a incrível cúpula localizada no centro do prédio.

Igreja e Convento de Santa Catarina

Interior do convento

Saindo do convento, continuei andando pela Calle Florida até o histórico bairro do Retiro, onde visitei a Plaza San Martin, Torre Monumental, Basílica do Santíssimo Sacramento, Edifício Kavanagh e a movimentada Estação Retiro, de onde partem os trens em direção a cidade de Tigre. O bairro apesar de bem turístico enfrenta alguns problemas de segurança então é bom tomar cuidado, principalmente na região da Plaza San Martin.

Saindo do Retiro, voltei para o centro e por acaso descobri o pequeno La Muestra de Evita – Museo del Pueblo, um pequeno centro de memória itinerante mantido por uma associação trabalhista com uma coleção bem bacana de itens pessoais da ex-primeira dama, além de inúmeros livros e revistas com Evita na capa

Como todas essas atrações estão bem próximas uma das outras, fiz todo esse roteiro novamente a pé e mais uma vez economizei uma graninha com transporte haha.

Se localize:

 

  • Dia 3: Puerto Madero e Caminito

Esse foi um dia mais relax e dedicado ao bairro mais badalado da cidade, Puerto Madero. Cheio de bares, restaurantes, hotéis, museus e com uma arquitetura fascinante que mistura os modernos arranha céus com os galpões do antigo porto, vale muito a pena uma visita à Puerto Madero .

As maiores atrações do bairro são a Ponte de la Mujer e o Fragata Sarmiento, um interessante barco ancorado que funciona como um museu.

Os restaurantes em Puerto são um pouco caros mas para quem quer comer bem sem gastar muito, a rede de fast food Mostaza tem uma filial no bairro – dois lanches saíram por cerca de 120 pesos e estava uma delícia.

Ponte de la Mujer
Puerto Madero
Interior do Fragata Sarmiento

Já à tarde, por volta das 15h, decidi ir para o colorido Caminito.

Voltei então para o centro e peguei um ônibus na rua Adolfo Alsina, próximo a Plaza de Mayo. Em 20 minutos já estava no bairro de La Boca, onde fica o Caminito. Paguei cerca de 2 pesos na passagem e a viagem foi super tranquila. Não me recordo o número do bus, mas ele para na Avenida Almirante Brown. De lá, é só seguir pela rua Brandsen até o Estádio La Bombonera do Boca Juniors, que infelizmente não entrei, mas tirei umas fotos na fachada e nas curiosas lojinhas ao seu redor.

Do estádio, segui por mais algumas quadras até chegar ao Caminito. Não há muito o que se fazer nas pequenas travessas além de admirar as casinhas coloridas e a movimentação do bairro. Para quem tiver a intenção, há vários restaurantes na região, mas eles costumam ser um pouco caros. Lojas de lembrancinhas e vendedores de arte são bem comuns também – para quem gosta e quer gastar, o Caminito é um bom lugar hehe.

Para voltar ao centro, peguei o mesmo ônibus da ida na avenida Pedro de Mendonza e desci há poucas quadras do hotel. Antes disso, porém, peguei o meu primeiro congestionamento na cidade – foi mais de uma hora parado na região do congresso em um ônibus cheio e quente (isso não é muito Brasil haha?!).

Se localize:

A noite, reservei algumas horas para apreciar um belíssimo show de tango no Complejo Tango Cena Show.

É isso ai galera, esse foi o meu roteiro por Buenos Aires. Claro que faltou conhecer muita coisa ainda, como o Jardim Japonês, os Bosques de Palermo e o famoso bairro de San Telmo. Sem falar dos badalados shows de tango do Esquina Carlos Gardel e do Tango Porteño. Concluindo, Buenos Aires é linda e merece mais que uma visita.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *