Roteiro de 2 dias em Paraty-RJ

As ruas, os casarões, as igrejas, as praias, os habitantes, ou seja, tudo, simplesmente tudo é apaixonante em Paraty . Com quase 40 mil habitantes, Paraty faz parte da chamada Costa Verde fluminense, fazendo divisa com o estado de São Paulo e é uma das cidades mais interessantes do Brasil para quem busca turismo histórico-cultural, turismo de aventura e natureza.

Durante o período colonial, a cidade foi sede do mais importante porto exportador de ouro do país – que vinha de Minas Gerais – o que contribuiu para o seu desenvolvimento e consequentemente para a construção dos suntuosos casarões e igrejas que hoje fazem a festa dos turistas. Por estar localizada quase ao nível do mar, a cidade foi projetada levando em conta o fluxo das marés. Como resultado, muitas de suas ruas são periodicamente inundadas pela maré. Infelizmente não consegui ver a inundação, mas as ruas estavas todas molhadas da ultima maré que tinha acontecido na noite anterior a minha chegada.

Igreja de Santa Rita, marco arquitetônico de Paraty

Eu tinha apenas 2 dias para desbravar a cidade – sábado e domingo – então tive que fazer um roteiro um pouco mais corrido, mas que ao mesmo tempo incluiu todas as principais atrações. O legal é que dá pra fazer muita coisa sem precisar pagar nada, ou pelo menos não investir um valor alto. Sem falar que simplesmente andar por suas ruas já valem a pena <3.

  • Informações práticas:

Nome: Paraty
Estado: Rio de Janeiro
Fundação: 1667
População: 41 mil (2017) – 43° estado | 821° país
Gentílico: paratiense
IDH: 0.693 (2010) – 62° do estado entre 92 municípios
Distância até a capital do estado: 258 km.

  • Como chegar

Paraty está localizada praticamente no meio do trajeto entre as capitais do Rio de Janeiro e São Paulo, sendo de fácil acesso tanto para quem vai de carro, quando ônibus.

Saindo do Rio de Janeiro, para quem está de carro, os 258 km que separam as duas cidades podem feitas pela BR-101 (Rio – Santos), que tem uma belíssima vista do litoral. Já para quem sai de São Paulo, os 270 km podem ser feitos pela BR-116, até Guaratinguetá, e depois pela BR-459, até o destino final. Mas claro, para quem não está tão preocupado com horários, existem outras opções de trajeto, sendo que a Rio-Santos apresenta os mais belos cenários, já que margeia o mar.

Como moro em Campinas | SP e não há ônibus que fazem a ligação direta entre as duas cidades, tive que ir até a Rodoviária do Tietê em São Paulo e de lá pegar um ônibus até Paraty, através da empresa Reunidas Paulista. Como a viagem dura em média 6 horas, decidi embarcar no ultimo horário, por volta das 23 hrs, pois chegando lá de manhã, economizaria uma diária no hotel.

Campinas > SP: 30,00 (1.30 hora)
SP > Paraty: 79 reais (6 horas) – valor referente a  2015. Atualmente a passagem é vendida por R$ 86,34 (julho de 2018).

Depois de uma viagem super tranquila, chegamos por volta das 5 hrs da manhã de sábado em Paraty. Fazia um friozinho gelado e como estava bem cedo ainda, decidimos ficar enrolando ali mesmo na pequena e simples rodoviária até irmos para o hotel. Legal que havia muitos gringos ali esperando, chegando e partindo :D.

  • Hospedagem

Quando começou a clarear, por volta das 6 hrs, decidi ir até a pousada que havia reservado um mês antes pelo Booking (era tão cedo que acordei o funcionário da recepção). Minha estadia foi na Pousada da Gabriela (rua Presidente Pedreira, 20) que ocupa um casarão há apenas 2 quadras da rodoviária e a 4 quadras do Centro Histórico. Paguei cerca de 300 reais (valor de julho de 2015) em duas diárias num quarto bem bacana, com TV, ar-condicionado, frigobar e banheiro privativo. O hotel tinha uma boa estrutura, com piscina, funcionários prestativos e um ótimo café da manhã.

Check-in realizado, chegou a hora de bater perna pelo centro histórico de Paraty, que é um dos lugares que mais me encantaram  no nosso imenso Brasil. Por suas ruas há inúmeros cafés, restaurantes, lojinhas, centros culturais e por aí vai…

Largo de Santa Rita
Igreja Matriz

      Roteiro de atrações

  • Centro Histórico:

Praça do Chafariz e Chafariz do Pedreira

Capela de Santa Cruz da Generosa

Largo do Rosário

Igreja de São Benedito e de Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos

Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios

Praça da Matriz

Igreja de Nossa Senhora das Dores

Câmara Municipal

Casa da Cultura de Paraty

Largo de Santa Rita

Igreja de Santa Rita de Cássia

Sesc Paraty

Antiga Cadeia Pública

Mercado Municipal

Praça da Bandeira

Cais de Paraty

Canhão na Praça da Bandeira
Igreja de Nossa Senhora das Dores
  • Trindade

Depois de me encantar com a arquitetura da cidade no período da manhã (sim, fiz todo esse roteiro em meio período, Uffa) foi a vez de conhecer no período da tarde as famosas praias de Trindade, uma vila de pescadores cercada por muita natureza e que foi um dos lugares mais bonitos e mágicos que já visitei. Vou deixar para falar mais sobre Trindade em um outro post, mas visitei os seguintes lugares:

Vila de Pescadores

Praia dos Ranchos

Praia de Fora

Praia do Cepilho

Voltando de Trindade, fui a pousada, tomei um banho, dei uma descansada de leve e fui conhecer a noite paratiense. O Centro Histórico se transforma, fica super badalado e bem mais movimentado do que de dia. As ruas se iluminam e ficam repletas de artistas. A quantidade de restaurantes é enorme e chega ser difícil escolher um. Fazendo a linha mochileiro sem muita grana, acabei escolhendo um dos mais baratinhos, mas dei sorte pois a comida estava muito boa (não lembro o nome do restaurante).

Acordei cedo no domingo, meu último dia na cidade ::Ksimno::e fui dar mais uma volta pelo centro histórico, comprar algumas lembrancinhas e conhecer a região depois do rio Rio Perequê-Açu, onde fica a Praia do Pontal. Como meu ônibus de volta para São Paulo saia às 16 hrs, deu para conhecer os seguintes lugares:

Santa Casa São Pedro de Alcântara

Cemitério Municipal São Francisco de Assis

Forte do Defensor

Praia do Pontal

Rio Perequê-Açu
Muita gente acha estranho fazer turismo em cemitérios, mas olha a vista espetacular do alto do cemitério de Paraty
  • Dica de roteiro

Como estava com medo de deixar lugares que queria muito conhecer para o domingo, dia do meu retorno, deixei todas as principais atrações (centro histórico e Trindade) para um único dia, ou seja, fiz tudo correndo. Então, se você tiver mais disponibilidade de tempo, não cometa meu erro e deixe um dia inteiro apenas para apreciar o Centro Histórico, um dia inteiro para Trindade e os demais dias (caso tenha) para conhecer outras praias da região ou cidades vizinhas, como Angra dos Reis e Ubatuba, que são boas opções para fazer um bate-volta.

Olha essa vista ao fundo *_*
Também é possível fazer passeios de charrete pelas ruas do centro histórico
Rio Perequê-Açu

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *